Fiscais da Seop são presos acusados de corrupção

De acordo com o MP, Remuth Oliveira Mello, Ivyson Barcelos de Castro e Nicácio Ramos Tatagiba cobravam propinas de ambulantes e barraqueiros na orla da Zona Sul

Por O Dia

Rio - Órgão criado para fiscalizar e regular a atividade econômica dentro da cidade do Rio, três funcionários da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) deram nesta quinta-feira um péssimo exemplo de gestão. Remuth Oliveira Mello, de 37 anos, Ivyson Barcelos de Castro, de 39, e Nicácio Ramos Tatagiba, de 32, foram presos por policiais da Delegacia Fazendária (Delfaz), acusados de corrupção passiva, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

O trio teve a prisão temporária de cinco dias decretada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. Segundo a investigação comandada pelo promotor Rubem Vianna, da Coordenadoria de Combate à Sonegação Fiscal, os fiscais cobravam propinas de vendedores ambulantes e barraqueiros nas praias da Zona Sul. As investigações apontam que alguns ambulantes tinham a autorização cassada e já publicada no Diário Oficial.

Os fiscais da Seop tiveram seus sigilos bancário, fiscal e telefônico quebrados. Os policiais também cumpriram mandados de busca e apreensão em suas residências, assim como na sede da Coordenação de Controle Urbano (CCU).

Procurada, a Seop afirmou através de nota oficial que os funcionários estão afastados desde que soube da denúncia e um processo administrativo demissionário foi aberto para apurar as responsabilidades dos acusados. A corregedoria do órgão está em contato com a Polícia Civil e com a Justiça para obter mais detalhes da prisão dos fiscais e vai se pronunciar quando tiver mais informações sobre o caso.

Últimas de Rio De Janeiro