Por paulo.gomes

Rio - O médium responsável pelo Centro Espírita Lar de Frei Luiz, na Taquara, foi encontrado morto na manhã desta sexta-feira em sua casa, que fica no mesmo imóvel. Segundo testemunhas e agentes do 18º BPM (Jacarepaguá), Gilberto Arruda, de 73 anos, foi encontrado amarrado com sinais de espancamento e ainda teria sido enforcado. A Divisão de Homicídios (DH) da Capital está no local.

Agentes do 18º BPM (Jacarepaguá) foram acionados no início desta manhã e, ao chegarem ao local, constataram que havia sinais de espancamento, além de um corte no braço do médium. O corpo foi encontrado antes de uma palestra para dependentes químicos. 

O médium Gilberto Arruda%2C de 73 anos%2C foi encontrado morto na manhã desta sexta-feira%2C no interior do Centro Espírita Lar de Frei Luiz%2C na TaquaraReprodução / TV Globo

Conhecido entre os espíritas, Gilberto Arruda realizava cirurgias espirituais no Lar Frei Luiz e atendia os pacientes com o espírito do médico alemão Frederick von Stein.

Wilson Vasconcelos Pinto, presidente do Lar de Frei Luiz, disse não ter um suspeito para a morte de Gilberto Arruda. "Não temos a mínima ideia do que aconteceu. O Arruda era muito querido por todos e era médium da casa desde 6 anos", diz.

Ele revelou que o médium morava no local com a esposa (Marli), mas que dormiam em quartos diferentes. Foi ela quem achou o corpo de Arruda por volta das 7h. "Ele participou de uma reunião com dependentes químicos ontem a noite e não teve problema algum. Ele era o principal médium da casa. Era uma pessoa tranquila, dócil. Estamos todos chocados e não temos a mínima ideia do que aconteceu", afirma.

Médium assistente de Arruda, Paulo Abrantes, de 67 anos, afirmou que o médium realizava cerca de 400 cirurgias espirituais por mês. Ele disse que Gilberto Arruda recebia pessoas do exterior e de outros estados, além de diversos famosos.

"O Guga (Gustavo Kuerten), Xuxa, Elba Ramalho e outros famosos já estiveram com ele. Eu brincava que ele era uma criança grande. Era um casa muito generoso que sempre viveu para o bem", afirma. 

Carro da Defesa Civil deixa o Lar de Frei Luiz%2C na Taquara%2C com o corpo do médium Gilberto ArrudaFabio Gonçalves / Agência O Dia

Esse é o terceiro caso de violência envolvendo religiosos somente nesta semana. No último domingo, a menina candomblecista Kailane Campos, de 11 anos, levou uma pedrada quando seguia para centro espiritualista na Vila da Penha. Nesta sexta, ela estava na sede da Arquidiocese, onde teve um encontro com o arcebispo do Rio, cardeal Dom Orani Tempesta.

E na manhã de quinta-feira, a Casa do Mago, que fica na Rua Humaitá, também foi alvo de apedrejamento. Segundo Ubirajara Pinheiro, 62, responsável pelo templo, três homens, um deles com um livro preto na mão, arrremessaram seis pedras contra o templo religioso e danificaram imagens do local. Além disso, uma senhora teria sido atingida por uma das pedras.

Você pode gostar