Maioridade: Deputado defende plebiscito

Alessandro Molon quer mais tempo para debater tema

Por O Dia

Rio - Um dos seis parlamentares da comissão especial da Câmara que votaram contra a redução da maioridade penal, Alessandro Molon (PT-RJ) afirmou ontem que já esperava pelo resultado. Segundo o deputado federal, nem a proposta de se realizar um plebiscito foi aceita pelos outros 21 membros da comissão, no que ele considerou como manobra para acelerar a aprovação do tema. “A comissão foi montada pela direção da Casa para aprovar a redução”, diz ele, numa referência ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

Entre os integrantes estão os deputados Delegado Edson Moreira (PTN-MG), o relator, Laerte Bessa (PR-DF), ex-delegado, e o líder da ‘bancada da bala’ do Congresso, Alberto Fraga (DEM-DF), tenente-coronel da PM. “É apenas o começo. Se a redução da maioridade vingar, o próximo passo é a revogação do Estatuto do Desarmamento”, alerta.

Molon acredita que há interesse em manter a população distante das discussões. “Estamos em ritmo de aceleração do retrocesso, imposto pela presidência da Casa”.

O substitutivo agora vai para o plenário da Câmara, antes de seguir para o Senado. “Vamos tentar fazer com que a votação não seja pautada com tanta pressa e tenhamos tempo para dialogar com a sociedade. Mas estamos preparados para o embate”, diz Molon.

Reportagem de Dirley Fernandes

Últimas de Rio De Janeiro