Legião de turistas lota destinos com baixas temperaturas no estado

Regiões de montanhas espalhadas pelo estado do Rio, como Sul Fluminense e Serrana, são as mais procuradas

Por O Dia

Rio - De acordo com a previsão de meteorologistas, o inverno, que começou há uma semana e se estende até 23 de setembro, será ‘morno’ este ano. Mas nada que desanime os ‘caçadores de frio’. Sem nenhuma previsão de temperaturas muito baixas para os próximos meses, a rota dos amantes do clima mais gelado possível será as regiões de montanhas espalhadas pelo estado do Rio, principalmente as localizadas no Sul Fluminense e Serrana, longe do chamado Rio 40 graus. Ao contrário da capital, onde a temperatura média deverá ficar em torno dos 18,4 graus no próximo mês, por exemplo, nas localidades de serras os termômetros vão marcar pelo menos dez graus a menos.

“Quem quiser curtir frio de verdade, terá que procurar altitudes bem acentuadas, como as que existem em Itatiaia, Teresópolis, Petrópolis e Friburgo, localizadas entre 850 e 2,8 mil metros de altura em relação ao nível do mar”, aconselha a meteorologista do Climatempo, Michele Fernandes. Ela diz que por conta do evento El Niño, o clima será mais gelado que o normal apenas no Sul do País.

Alan Leite e Luana Fernandes almoçam em Maringá%3A gosto por locais gelados Severino Silva / Agência O Dia

Em Itatiaia, muita gente já lota hotéis e pousadas. Por aquelas bandas, no interior do Parque Nacional de Itatiaia, a cerca de 2 mil metros de altitude, foi registrada no dia 20 a menor temperatura do estado este ano: 7,2 graus negativos.

“Por aqui, sempre há geada nesta época e a possibilidade real de cair neve, como aconteceu em 1988. Este ano não será diferente”, ressalta o administrador do parque, Gustavo Tomzhinski, que espera aumento de 15% no movimento de turistas, que chegaram a 120 mil em 2014. “Até amanhã (segunda) os termômetros podem, inclusive, registrar até 8 graus negativos na mesma área”, adianta Michele.

Na quarta-feira, a professora paulista Andreza Silva, de 33 anos, o marido, Eduardo Pereira, da mesma idade, e a filha Maria Lívia, 3, com os amigos empresários Maria Aparecida, 45, e Agnaldo França, 48, chegaram, com malas cheias de casacos, botas, luvas e cachecóis, a uma pousada de Penedo, bairro de Itatiaia. “Além de conhecer as lojas da famosa Casa do Papai Noel (réplica da Pequena Finlândia), e preparar belos fondues ao lado da lareira, vamos dar uma esticada ao parque. Quem sabe damos sorte de ver flocos de neve? É um sonho”, justificou Andreza.

Recém-casados, o operador de máquinas Alan Leite, 27, e a psicóloga Luana Fernandes, 26, escolheram Maringá, vila a 35 Km de Penedo, para passarem parte da lua-de-mel. “Viemos em busca de temperaturas próximas a zero ou abaixo”, revelou Alan. “Em breve começarão os festivais de queijos e vinhos. Bons pratos por aqui não faltam nunca”, completou Luana, enquanto degustava iguaria à base de trutas com o marido, no Restaurante Cheiro Verde.

Eduardo%2C Andreza e a pequena Maria Lívia%3A mala lotada de casacos para aguentar as baixas temperaturasSeverino Silva / Agência O Dia

Termômetro em queda garante vendas aquecidas

?Além das delícias gastronômicas de inverno, cujos festivais ainda estão sendo programados na maior parte das regiões montanhosas, empresários vêm investindo em novidades para atrair clientes. É o caso de Andréia Paes Leme, de 51 anos, dona da loja Astral Exothéryca, uma das mais procuradas, na entrada de Penedo, por conta de suas pedras semi-preciosas importadas do Oriente, sobretudo da Índia.

“Vamos inaugurar uma botica (farmácia) no dia 10 de julho, ofertando aos visitantes 40 tipos de óleos essenciais e vegetais do Chile para terapia. Aqueceremos os corações dos fregueses com esses mimos”, adianta Andréia.

É entre Penedo, Mauá e Maringá que também se encontram as melhores fábricas de chocolates do estado, segundo especialistas. Para atrair turistas, como o alpinista industrial Thiago Duarte, 25, e a esposa, a nutricionista Patrícia Pimentel, 32, as lojas não economizam nas formas e receitas que têm o produto como base.

“É uma perdição para quem é fã de chocolate, como nós. Mas, como nutricionista, tenho que ser comedida nas compras”, pondera Patrícia, que na quarta-feira conheceu a loja Tonttulakki Suklaat, que fabrica na Casa do papai Noel dezenas de tipos de bombons, trufas e barras de chocolate de diversas origens, principalmente belga. Um dos mais procurados é o extravagante salame de chocolate, com pedaços do produto em diversos sabores.

Andréia investiu em novidades na sua loja para atrair os turistasSeverino Silva / Agência O Dia

Frio fluminense atrai até gringo

?A previsão de temperaturas bem baixas nas regiões de montanha no estado, animam os proprietários de hotéis e pousadas dessas localidades. “Estamos surpresos. Apesar da crise, estamos com a taxa de ocupação quase completa”, afirmou o recepcionista Gustavo Senna, da Pousada do Lago, no Centro de Penedo, onde a diária para o casal sai a R$ 250 com café da manhã.

Se depender da meteorologia, os empresários do setor nas serras do Rio têm motivo de sobra para sorrir. “A expectativa é que durante todo o mês de julho o tempo permaneça bem frio e úmido nos relevos mais elevados”, adianta a meteorologista Michele Fernandes.

Empolgado, o comunicólogo mexicano Ulisses Curiel, 35, foi visitar, na semana passada, a namorada, a artesã Daniele Bittencourt, 29, que mora desde os oito anos na Vila de Maringá. Ele garante que não quer mais voltar para seu país. “Vou morar aqui para sempre. O clima (diferente das temperaturas quentes do México) é fantástico. O lugar é mágico. Estou muito apaixonado pela região”, justificou.

Em Maringá, Ulisses conheceu o fotógrafo Daniel Campadello, oriundo de uma família de artistas plásticos com raízes na Itália. No seu atelliê, na principal rua do lugarejo, ele ‘enfeitiça’ as pessoas com obras expostas em pinturas, fotografias e imagens elaboradas com a ajuda de vários espelhos. “O espaço é uma homenagem aos meus pais e serve para meditação”, explica.

Últimas de Rio De Janeiro