Briga pela Prefeitura de Campos será acirrada

Candidatos desagradam, particularmente, o governador Pezão, que prefere políticos que atuaram na sua campanha

Por O Dia

Rio - A disputa pela Prefeitura de Campos promete ser complicada. Pezão não está entusiasmado com as pré-candidaturas dos deputados Geraldo Pudim (que trocará o PR pelo PMDB) e Antônio Papinha (PP).

O governador quer uma articulação que reúna políticos que atuaram na linha de frente de sua campanha: o vereador Rafael Diniz (PPS), o ex-prefeito Arnaldo Viana (PDT) e o deputado João Peixoto (PSDC). Já uma parte do PR aposta no deputado Bruno Dauaire, e já até encomendou pesquisas para checar a aceitação do seu nome.

Delação anunciada
Acusado de ter cometido fraudes na prefeitura, o ex-deputado e ex-secretário Rodrigo Bethlem ficou irritado com alguns comentários de Eduardo Paes contra ele. Em tom de ameaça, desabafou a um amigo: “O Eduardo esquece que eu coordenei a campanha dele.”

Isenção 
O gabinete da vereadora Teresa Bergher (PSDB) deu uma olhada no relatório do Tribunal de Contas do Município sobre as contas de Paes e notou que, em 2014, a prefeitura deixou de arrecadar R$ 565 milhões só com isenções concedidas no pagamento do ISS.

Já Pezão deu isenção de ICMS para a importação dos visores de acrílico que serão usados no AquaRio, o aquário gigante que está sendo construído na Zona Portuária. Rendeu uma economia de R$ 660 mil para os empresários.

Fantasmas
Os vereadores de Seropédica votam hoje a cassação do mandato do prefeito Alcir Fernando Martinazzo (PSB). Isso, por conta de supostos funcionários fantasmas na prefeitura.

Presente de grego
Ex-prefeito de Itaguaí, Luciano Mota teve seu mandato cassado no dia em que fez 33 anos.

Últimas de Rio De Janeiro