Paes insinua que Romário vai apoiar Pedro Paulo em 2016: 'está tudo certo'

Prefeito confia que vai driblar senador e ex-jogador nas próximas eleições

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio -  O prefeito Eduardo Paes confia que vai driblar Romário, um adversário de peso na disputa eleitoral do ano que vem, quando pretende fazer do todo-poderoso Pedro Paulo Carvalho seu sucessor na prefeitura. O senador e eterno camisa 11 da seleção se mostrou animado com o resultado da pesquisa feita pelo Instituto Paraná, e divulgada pelo DIA na edição de quarta-feira, sobre as eleições de 2016.

De acordo com o levantamento, Crivella é o preferido de 32,2% dos eleitores para ser o novo prefeito, e Romário, de 27,6%. Mas como a margem de erro da pesquisa é de 3,5%, há um empate técnico entre os dois. Pedro Paulo Carvalho, o candidato de Paes, tem apenas 3%.

Apesar de Romário ter confirmado ao DIA, no fim da tarde de quarta-feira, que pretende ser candidato, o prefeito garantiu que o Baixinho estará com Pedro Paulo no ano que vem. Nesta quinta-feira à tarde, antes da entrevista coletiva em que anunciaria o planejamento operacional para os eventos-teste da Rio 2016 que ocorrerão em agosto, Eduardo Paes ensaiou os primeiros dribles em Romário.

Eduardo Paes apresentou o planejamento para os eventos-teste entre o secretário Rafael Picciani e o diretor da CET-Rio Joaquim DinizRaphael Lima / Prefeitura do Rio

“Eu queria avisar que jantei com ele (Romário) logo depois e está tudo certo (risos)”, disse Paes, confiante no apoio do Baixinho a ao seu candidato. Procurado pelo DIA, Pedro Paulo mostrou que está ensaboado com as palavras, próximo do nível que Romário mostrava com a bola nos pés nos tempos de jogador.

“Estamos conversando (...). Se Deus quiser, ele vai caminhar junto conosco no ano que vem”, disfarçou. Questionado se o termo “junto conosco” seria com Romário na chapa como candidato a vice-prefeito, Pedro Paulo Carvalho tentou aplicar mais um drible: “Ainda temos um ano e quatro meses até a eleição. Muita água ainda vai rolar”, despistou o secretário.

PAZ E AMOR

A relação entre Romário e Eduardo Paes sempre foi amistosa. Em 2012, quando o prefeito tentava a reeleição, Romário também vinha bem nas pesquisas, mas optou por retirar a candidatura após um acordo com Paes.

Em 2014, Romário apoiou Lindberg Farias para governador, mas no segundo turno se juntou ao PMDB em apoio a Luiz Fernando Pezão. Em troca, o prefeito fez de Marcos Braz, amigo do senador, secretário municipal de Esportes.


Indefinição no PSDB

Insuflado pelos bons números do senador e candidato derrotado à Presidência em 2014 Aécio Neves (PSDB-MG) no Rio, referendados pela baixa rejeição ao nome do tucano, conforme revelou O DIA, o PSDB fluminense quer lançar candidato na capital, e cogita entre o presidente estadual da legenda, deputado federal Otávio Leite e um novo nome. Clarissa Garotinho (PR), por enquanto, é projeto suspenso.

Já no PMDB, sempre que perguntados, todos juram que o partido marchará unido nas eleições de 2016. Tanto que o nome do líder do partido na Câmara, Leonardo Picciani, perdeu força e surgiu a possibilidade de uma chapa ‘puro-sangue’. À frente, viria o secretário Pedro Paulo, tendo ao lado o deputado estadual Rafael Picciani como candidato a vice. Nesse cenário, como O DIA publicou em junho, Leonardo Picciani viria como candidato ao Senado em 2018.

Colaborou Fernando Molica

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia