Polícia encontra corpo carbonizado em favela de São Gonçalo

Agentes investigam circunstâncias do crime

Por O Dia

Agentes encontraram corpo totalmente carbonizado em São GonçaloWhatsApp O DIA (98762-8248)

Rio - Um corpo carbonizado foi encontrado pela polícia na manhã desta sexta-feira, na Favela do Abacatão, no bairro Boa Vista, em São Gonçalo, Região Metropolitana. De acordo com a Polícia Civil, policiais militares foram acionados para a ocorrência e, quando constataram que dentro de um carro incendiado existia um corpo, também em chamas, os PMs acionaram a Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG).

Segundo o delegado-adjunto da DHNISG, Thiago Dorigo, ainda não há informações sobre o que ocorreu de fato e nem sobre a identificação da vítima, apenas o registro do veículo, que era roubado. "Nós sabemos que o carro era um modelo Logan e teria sido roubado no dia 10 de julho na área da 72ª DP (Mutuá), no centro da cidade. Sabemos também que o carro começou a pegar fogo por volta de 8h. Agora vamos aguardar o laudo do legista para identificar a vítima", disse. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médigo Legal (IML) de Niterói. O laudo deve sair em três dias.

Morto em SG

Um outro corpo também foi encontrado por agentes da DHNISG no bairro de Tribobó. Segundo a polícia, o homem, que levou pelo menos quatro tiros na cabeça e no tórax, tinha ligação com o tráfico local. Policiais acharam o homem próximo à entrada da comunidade Palha Seca, na região.

Corpo carbonizado do Centro

Agentes da Divisão de Homicídios (DH) Capital foram acionados por volta de dez horas da manhã desta sexta-feira para apurar um caso de corpo carbonizado, encontrado em uma rua atrás da Universidade Estácio de Sá, da Avenida Presidente Vargas, no Centro.

De acordo com informações da polícia, os policiais civis encontraram um veículo mode Stilo, e dentro, um corpo totalmente carbonizado. Ainda de acordo com a polícia, o corpo foi encaminhado para o IML, no centro, e a perícia no local foi realizada. A DH investiga o caso.

Reportagem de Vinicius Amparo

Últimas de Rio De Janeiro