Premiação reúne 501 jovens talentos da Matemática

Estudantes de todos os estados estiveram no Theatro Municipal ontem à tarde para entrega das medalhas de ouro da OBMEP 2014

Por O Dia

Rio - Do alto das arquibancadas do Theatro Municipal, no Centro do Rio, os nomes delas ecoavam em gritos orgulhosos dos pais: “Bruna, olha pra cá!”, bradava um deles, quando as meninas recebiam as medalhas no palco. Bruna Malvar, de 15 anos, bicampeã, e Julia Perdigão, 15, tetracampeã, são duas dos 43 estudantes do estado do Rio que conquistaram ouro na 10ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). O grupo esteve ontem no Municipal para a cerimônia com estudantes premiados de todo o Brasil.

As 501 medalhas de ouro foram disputadas por mais de 18 milhões de alunos matriculados em 46.711 escolas públicas de 5.533 municípios brasileiros. O diretor-geral do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa), César Camacho, fez uma saudação especial às meninas ganhadoras que estavam na plateia, depois de dizer que a Matemática ainda tem menos mulheres envolvidas do que homens. “Vemos aqui que grandes talentos podem emergir através da OBMEP”, destacou, seguido de uma salva de palmas do público composto por estudantes premiados, pais, professores, ex-alunos do Impa e autoridades.

Bruna Malvar (à esq) e Julia Perdigao (à dir) aguardavam o momento de subir ao palco junto com os colegas premiados do Estado do RioJoão Laet / Agência O Dia

“A Matemática do colégio não tem muita graça”, disse Julia. “Na olimpíada você desenvolve um raciocínio mais elaborado porque precisa de muito conteúdo para resolver uma só questão”, completou Bruna. As duas são da mesma turma de 1º ano do Ensino Médio no Colégio Militar do Rio (CMRJ). Rodrigo Ribeiro, 14, é aluno do CAp-Uerj e bicampeão. “Eu gosto de todas as matérias, mas me destaco em

Matemática porque tenho a chance de desenvolver isso através da OBMEP. Seria bom se tivesse uma olimpíada de tamanha expressão em outras áreas”, disse o estudante do 9º ano.

Os ministros Renato Janine, da Educação, e Aldo Rebelo, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, também estiveram presentes na premiação. “Esta cerimônia é uma grande festa da inteligência”, disse Janine. “A Matemática é disciplina, mas também exige imaginação. Quanto mais oportunidades o país der, mais livres vocês serão para escolher seus caminhos profissionais”, finalizou o ministro da Educação.

Aluno quer ser matemático

Para a boa parte dos estudantes, matemática não é uma brincadeira prazerosa como é para o menino Lucas Costa, 13, que tão novo já decidiu: vai ser matemático. “Gosto muito de estudar. O conhecimento é algo que abre portas e te torna um profissional mais qualificado”, disse estudante do 8º ano da Escola Municipal Francisco de Assis Medeiros Rangel, em Rio das Ostras. Ele e a estudante Rebecca Cavalcante, 12, foram os dois ouros do município na OBMEP de 2014.

Realizada com recursos do Ministério da Educação (MEC) e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), a OBMEP é feita pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), em três níveis. No nível 1, concorrem alunos de 6º e 7º anos do Ensino Fundamental. No 2, disputam alunos de 8º e 9º anos; e no nível 3, alunos de ensino médio (1º, 2º e 3º anos), todos estudantes de escola pública.

Reportagem de Amanda Prado


Últimas de Rio De Janeiro