Versão de sequestro contada por menina é descartada pela polícia

L. sumiu no domingo e apareceu 24h depois. Aos parentes, a garota contou que foi feita refém por dois homens, em Maricá

Por O Dia

Rio - Foi descartada, nesta terça-feira, pela Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNSGI) a possibilidade de sequestro e envolvimento de outra pessoa no caso do desaparecimento da estudante de 11 anos L., que sumiu no último domingo, em Maricá, na Região Metropolitana do Rio.

O delegado titular da especializada, Fábio Barucke, confirmou que a garota admitiu ter saído de casa para encontrar um rapaz. Como O DIA adiantou hoje, Matheus Reis da Silva, 20, foi preso e autuado ontem por estupro de vulnerável.

Polícia prende suspeito de estuprar menina que estava sumida em Maricá

L. reapareceu menos de 24 horas após o sumiço. Ela foi encontrada nesta segunda-feira, no começo da tarde, num posto de combustíveis na RJ-106. Funcionários do posto avisaram à polícia e aos pais da menina. Ela saiu de casa no bairro Mombuca, às 17h40 de domingo.

Menina chora no encontro com a mãe. Família fez campanha nas redes Reprodução

Para parentes, a garota de olhos azuis, bonita e amante das artes contou que dois homens a levaram até um cativeiro, de onde conseguiu fugir pela janela e em seguida embarcou num ônibus - versão desementida mais tarde pela DHNSGI. 


Últimas de Rio De Janeiro