Crise econômica reduz venda de imóveis na Vila Olímpica

Obra está em fase de acabamento e menos de 50% dos apartamentos foram vendidos

Por O Dia

Rio - A Olimpíada de 2016 ajudará a tirar o Rio de Janeiro da crise? Se depender da Vila dos Atletas, que está em fase final de construção, na Barra da Tijuca, a resposta para a pergunta que está em todas as esquinas é sim.

Diretor-geral da obra, um complexo de 3.604 apartamentos divididos em 31 prédios, que consumirá ao fim cerca de R$ 5 bilhões, Maurício Cruz comemora a retomada das vendas nas últimas semanas. O engenheiro reconheceu que a estagnação econômica no país atrapalhou as vendas de forma considerável.

Em 2005, quando foram colocados à venda os apartamentos da Vila do Pan, num único dia foram negociados 90% dos imóveis. Desta vez, os números nem chegam perto. Mas os ventos já começaram a mudar de lado. “Chegamos a 50% dos apartamentos vendidos nos três primeiros prédios que estão sendo comercializados. A procura aumentou muito devido à divulgação e ao fato de a construção estar 85% concluída”, explicou Maurício Cruz.

Vila Olímpica%3A serão 3.604 apartamentos em 31 prédios na Barra. Custo total da obra ultrapassa R%24 5 bilhões e construção está quase pronta Severino Silva / Agência O Dia

Segundo o engenheiro, os compradores adotaram perfil mais conservador nos últimos anos, com receio de perder o dinheiro investido em empreendimentos arriscados, como imóveis na planta, por exemplo. “Existe uma insegurança natural, um medo de construtoras não entregarem obras por causa da crise. Mas agora que está tudo praticamente pronto, a confiança volta e os compradores também”, analisou.

O empresário Henrique Sá, de 40 anos, se encaixa perfeitamente neste perfil de investidor. O sonho de comprar um apartamento da Vila dos Atletas veio junto com o anúncio do Rio como cidade-sede dos Jogos Olímpicos. Mas a prudência acabou falando mais alto.

“Fiquei um pouco cabreiro de colocar tudo o que juntei neste apartamento. Mas agora já estou refazendo as contas para dar entrada num imóvel que vai virar cartão postal da cidade”, conta Henrique Sá. O sonho, no entanto, não é barato. Os apartamentos mais “modestos”, com dois quartos e 78 metros quadrados, não saem por menos de R$ 650 mil. Para a cobertura de 450 metros quadrados (4 quartos), os interessados terão de desembolsar uma fortuna: R$ 4 milhões.

E não tem pechincha. A confiança da construtora é tão grande em vender todas as unidades que o preço não baixou. A corrida por um imóvel na Vila dos Atletas, pelo visto, começou de fato. Apesar da crise.

Corretores negam fantasma da Vila do Pan

Distante cerca de 8km da Vila dos Atletas, o “maldição” da Vila Panamericana não assusta os corretores. Construída para o Pan de 2007, hoje parece um condomínio fantasma. Os problemas estão por todos os lados e as soluções só começaram a ser tomadas em abril.

Problemas na Vila do Pan são decorrentes de obra mal feita por empresa que faliu%2C segundo engenheiroSeverino Silva / Agência O Dia

A prefeitura, através da GeoRio, investirá mais R$ 61 milhões em obras de estabilização do solo, uma vez que rachaduras tanto no asfalto das ruas como nos apartamentos afastou os moradores do local. “A Vila do Pan foi um problema da construtora que executou a obra. Há empreendimentos de todo tipo em volta, e em toda a Barra da Tijuca, e em nenhum houve qualquer tipo de problema. Claro que os problemas de lá nos serviram de alerta, mas não há relação alguma entre as duas obras”, garantiu o engenheiro Maurício Cruz.

Vila tem plano sustentável

Um dos destaques da construção da Vila dos Atletas — que terá as dimensões de um bairro como o Leme, na Zona Sul— é a sustentabilidade. A Vila reaproveitará a água utilizada das pias e chuveiros para irrigar parques e jardins. E também nos vasos sanitários, proporcionando uma economia de 40% do consumo.

Haverá também uso de placas solares para aquecimento de água, telhados verdes para reduzir a formação de ilhas de calor e, consequentemente, o consumo de energia elétrica e também de água. A Vila do Atletas será entregue ao Comitê Olímpico Internacional no dia 1 de março de 2016 para ser equipada a fim de receber os competidores. As chaves dos apartamentos serão entregues aos moradores em 2017.


Últimas de Rio De Janeiro