Espírito olímpico carioca é aprovado no evento-teste

Muita gente foi torcer em Copacabana. Até a Olimpíada, haverá mais 42 simulações

Por O Dia

Rio - O espírito olímpico contagiou Copacabana. Até quem foi à praia apenas para um banho de mar acabou na torcida pelos brasileiros que disputaram a prova de triatlo no segundo dia de evento-teste para os Jogos Olímpicos. Mas muita gente reclamou. Com mais 13 ruas bloqueadas do que no sábado, muitos moradores disseram que foi difícil se locomover pelo bairro. Até a Olimpíada, mais 42 eventos-teste serão realizados no Rio.

Por toda a extensão do circuito esportivo, a torcida marcou presença. Os brasileiros fizeram questão de levar bandeiras e abusar das roupas em verde e amarelo. “É uma forma de incentivar mais ainda os atletas do nosso país”, declarou a baiana Fernanda de Freitas, de 36 anos, que veio ao Rio somente para o evento-teste.

Moradores e turistas prestigiaram o evento e engrossaram a torcida Carlos Moraes / Agência O Dia

Sem poder sair com o carro por conta das interdições, a moradora da Rua Leopoldo Miguez, Fernanda Zogbi, 63, resolveu reunir amigas para assistir à competição. “Transtorno sempre vai ter, mas a gente dá um jeito. Um evento dessa importância vale a pena prestigiar”, disse ela.

A organização de toda infraestrutura do evento ficou por conta de 70 funcionários do Comitê Rio 2016 e mais 500 voluntários, que fizeram questão de aproveitar cada minuto do trabalho. “Sou fã de triatlo e poder ver o campeão olímpico de perto é emocionante”, declarou Fernando Pires, 38. No aquecimento para a etapa masculina, lá estava ele tietando o esportista britânico Alistair Brownlee, ganhador do ouro nas Olimpíadas de Londres. “Aproveitei para pedir um autógrafo”, completou.

No pódio feminino, a campeã foi Gwen Jorgensen, dos Estados Unidos, seguida de Non Satanford e Vicky Holland, da Grã-Bretanha. Já o masculino teve como ganhadores Javier Gomez, da Espanha, Vincent Luis, da França, e Richard Murray, da África do Sul. Esta semana, a agenda de eventos-teste é intensa. De quarta-feira a domingo acontece a etapa de remo, no estádio da Lagoa, e na quinta será a vez do hipismo, no Centro Olímpico de Hipismo, em Deodoro.

Apesar da animação, o dia não foi nada fácil para os moradores de Copacabana e bairros vizinhos. Anunciadas com bastante antecedência, ainda assim as interdições no trânsito para a disputa das provas de triatlo foram recebidas com surpresa por alguns moradores. Além disso, a procissão do Círio de Nazaré, no Leme, que teve a participação de Fafá de Belém, tornava a chegada pela Avenida Princesa Isabel ainda mais difícil. Por volta das 11h, a passagem da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré causou muitos transtornos no Leme.

Estufa sobre a cidade

Das 6h25 de ontem, instante no qual o sol nasceu, até as 17h32, quando ele se pôs, um companheiro persistente esteve ao lado do carioca o tempo todo: o calor. Em pleno inverno, os termômetros atingiram 31 graus. Efeito provocado pela grande massa de ar quente e seco estacionada sobre 80% do território nacional — apenas as cidades localizadas nos extremos norte e sul do Brasil estão livres de sua influência.

“Ela provoca uma sensação de estufa. Além disso, há muitas nuvens sobre o Rio de Janeiro, o que impede que a radiação solar acumulada durante o dia retorne ao espaço. Isso aumenta ainda mais a sensação de calor”, explicou o meteorologista Manoel Rangel, do Instituto Nacional de Meteorologia.
A temperatura só deve cair a partir de sábado, por conta da redução da nebulosidade e da aproximação de uma massa polar.

Últimas de Rio De Janeiro