Mais de 40 pássaros silvestres são apreendidos em operação no Rio

Em São Gonçalo, os policiais descobriram que o Bar Carlota, no Bairro Galo Branco, abrigava uma exposição de pássaros não-licensiados

Por O Dia

Rio - Mais de 40 pássaros silvestres não-licensiados foram apreendidos neste domingo em operações do Comando de Polícia Ambiental (CPAm). A ação aconteceu nos bairros de Campo Grande, na Zona Oeste, e Tijuca, na Zona Norte do Rio, além do município de São Gonçalo, e contou com o auxílio da 2ª Unidade de Polícia Ambiental (UPAM) Móvel e da 6ª UPAM da Serra da Tiririca.

Através de denúncias anônimas, os policiais chegaram a uma feira livre na Praça São Francisco Xavier, na Tijuca, que comercializava animais sem registro. Além dos 32 pássaros apreendidos, os agentes resgataram um jabuti. Quatro suspeitos foram encaminhados para a 19ª DP.

Em São Gonçalo, os policiais descobriram que o Bar Carlota, no Bairro Galo Branco, abrigava uma exposição de pássaros não-licensiados. Três acusados foram encaminhados para a 73ª DP, no bairro do Alcântara. 16 animais foram apreendidos no local.

De acordo com a Lei Contra Crimes Ambientais, "vender, adquirir, aprisionar ou transportar animais silvestres, nativos ou em rota migratória sem permissão da autoridade competente" pode gerar pena de 6 meses a um ano de detenção, além de multa.

Em Campo Grande, foram encontrados dois balões e duas bandeiras. A ocorrência foi registrada na 35ª DP. Ainda não há suspeitos da ação. Segundo a mesma lei, "soltar balões que possam provocar incêndios nas florestas e demais formas de vegetação, em áreas urbanas e qualquer tipo de assentamento humano" pode levar a pena de um a 3 anos de detenção e multa.

O Comando de Polícia Ambiental pede para que a população denuncie crimes contra o meio ambiente através dos telefones 2253-1177 e 2332-7632.

Últimas de Rio De Janeiro