Paes tranquiliza atletas que competirão na Baía de Guanabara nas Olimpíadas

Durante evento que celebra 1 ano para a abertura dos Jogos, prefeito comparou relação com o COI e a Fifa

Por O Dia

Rio - Faltando 1 ano para a abertura dos Jogos Olímpicos do Rio, o prefeito Eduardo Paes esteve nesta quarta-feira no Parque Olímpico, no evento que celebra a data. Durante a entrevista coletiva, ele procurou tranquilizar os atletas que competirão na Baía de Guanabara, centro de uma grande polêmica desde a semana passada.

"A área da Baía de Guanabara aonde vão ocorrer as provas, é menos poluente que no fundo, por exemplo. Então os atletas podem ficar despreocupados", afirmou.

O prefeito Eduardo Paes deu uma entrevista coletiva nesta quarta-feira%2C no Parque Olímpico%2C no dia em que celebra um ano para a abertura das OlimpíadasBruno de Lima / Agência O Dia

Eduardo Paes prevê que 60% da Baía estará despoluída quando tiver início as Olimpíadas. "O esgoto tratado dos 11 municípios que despejam na Baía de Guanabara, 20% era tratado em 2009. Agora, cerca de 50% e deve chegar a 60% no próximo ano. Mas é importante que tenha essa pressão sobre a Baía para que essa questão seja resolvida", disse.

VEJA MAIS

OMS pede para o COI analisar níveis de vírus das águas do Rio de Janeiro

Pezão lança mais um projeto de despoluição da Baía de Guanabara

Baía de Guanabara só deve ficar despoluída em 2030

No evento que contou com a presença de ex-atletas e do presidente do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro e do comitê organizador dos Jogos Olímpicos, Carlos Arthur Nuzman, o prefeito disse que a relação com o Comitê Olímpico Internacional (COI) é melhor do que aconteceu com a Fifa, na época da Copa do Mundo, no ano passado.

"A Fifa só queria saber de hotel e aeroporto. E de nenhum legado para a cidade. Tanto que a Transcarioca foi inaugurada na época da Copa e nenhum representante da Fifa nem sabe o que é a Transcarioca", afirmou.

"Temos muita diferença com o COI. Eles têm uma preocupação permanente com o legado, inclusive, tem um representante francês que vem de três em três meses para ver como está o transporte na cidade", completou o prefeito.

Últimas de Rio De Janeiro