Procon diz que atendimento bancário em Campo Grande 'é o pior já visto'

Fiscais encontraram uma fila com mais de 90 pessoas, parte sob o sol, aguardando pelo recebimento de uma senha

Por O Dia

Rio - O Procon realizou, nesta quarta-feira, uma nova etapa da operação para vistoriar o atendimento de agências bancárias no Rio. Os fiscais da 'Operação Tio Patinhas' vistoriaram os bancos de Campo Grande, na Zona Oeste da cidade. Das 21 agências fiscalizadas, apenas a filial do HSBC localizada na Rua Agostinho Coelho, 77, não foi autuada.

Segundo o órgão, "foi o pior quadro de atendimento em agências bancárias já presenciado pelos fiscais do Procon". Muitos consumidores aguardavam por uma senha em fila sob o sol, antes mesmo de entrarem no banco, como foi o caso da agência do Banco do Brasil localizada na Avenida Cesário de Melo, 2.839.

O recorde de tempo de espera para o consumidor ser atendido ficou com outra agência do Banco do Brasil, desta vez a da Rua Amaral Costa, 72. Os fiscais encontraram uma fila, ainda do lado de fora, com mais de 90 pessoas aguardando pelo recebimento de uma senha. Já dentro do banco, munidos de senha, contabilizaram o tempo de uma hora e 40 minutos para o atendimento.

Fiscais encontraram clientes aguardando sob o sol por atendimentoDivulgação

Todas as agências do Banco Itaú fiscalizadas na ação desta quarta-feira realizavam o atendimento por ordem de chegada, o que contraria a determinação da Lei Municipal 5.254/2011, de que deve ser distribuída uma senha com data, hora de entrada e do início do efetivo atendimento.

Balanço da Operação Tio Patinhas:

1 - Bradesco (Estrada do Mendanha, 800): Ausência do Livro de Reclamações. Ausência de informações de serviços e contratos em braille. Ausência de guarda volumes. Tempo de espera para o atendimento no caixa de 18 minutos.

2 - Bradesco (Avenida Cesário de Melo, 3.110): Ausência do Livro de Reclamações. Ausência de informações dos serviços e contratos em braille. Tempo de atendimento superior ao permitido, em 1 hora e 26 minutos. Há três guichês para atendimento, porém apenas dois estavam funcionando.

3 – Bradesco (Rua Dr. Augusto de Vasconcelos, 244): Ausência do Livro de Reclamações. Ausência de informações de serviços e contratos em braille. Tempo de espera para atendimento prioritário de uma hora e 33 minutos.

4 – Caixa (Rua Amaral Costa, 311): Ausência de informações de serviços e contratos em braille.

5 - Banco do Brasil (Rua Amaral Costa, 72): Fila para obter senha com mais de 90 pessoas.
Não eram distribuídas senhas para todos os clientes, mesmo os que estivessem na fila. Tempo de espera para atendimento de uma hora e 40 minutos após a entrega das senhas. Ausência de informações de serviços e contratos em braille.

6 - Itaú (Rua Dr. Augusto Vasconcelos, 239): Ausência do Livro de Reclamações. Ausência de informações de serviços e contratos em braille. Ausência do atendimento por senha numérica, os clientes eram atendidos por ordem de chegada. Ausência dos 15 assentos mínimos para prioridade (havia somente seis). Ausência de guarda volumes antes da porta giratória. Ausência de cartaz contendo escala dos caixas e demais funcionários da agência. Autenticação de pagamentos não é feita no próprio documento.

7 - Itaú (Rua Dr. Augusto Vasconcelos, 254): Ausência do Livro de Reclamações. Ausência de informações de serviços e contratos em braille. Ausência do atendimento por senha numérica, feito por ordem de chegada. Ausência dos 15 assentos mínimos para prioridade, (havia somente 12). Ausência de guarda volumes antes da porta giratória. Autenticação de pagamentos não é feita no próprio documento. Ausência de dispositivo de privacidade entre os caixas e o público que transita pela agência.

8 - Santander (Avenida Cesário de Melo, 3.006): Ausência dos 15 assentos mínimos para prioridade (havia somente seis). Ausência de informações de serviços e contratos em braille. Ausência do Cartaz do Disque 151.

9 - Caixa (Avenida Cesário de Melo, 3.166): Ausência de informações de serviços e contratos em braille. Banheiro com acesso restrito. Ausência de acessibilidade para atendimento no segundo piso.

10 – Itaú (Rua Agostinho Coelho, 44/49): Ausência de guarda volumes. Atendimento por ordem de chegada, sem distribuição de senha. Ausência do Livro de Reclamações e do contrato em braille.

11 – Itaú (Avenida Cesário de Melo, 3.335): Atendimento não realizado por senha. Ausência dos 15 assentos mínimos para prioridade (havia apenas um). Ausência de cartaz informando sobre sanitários e bebedouro. Ausência de guarda volumes. Ausência do Livro de Reclamações. Ausência de cadeira de rodas. Ausência de informações de serviços e contratos em braille. Ausência de escala completa de funcionários.

12 - Banco do Brasil (Estrada do Mendanha, 326): Tempo de espera para atendimento de 45 minutos. Ausência de divisórias (biombo) para isolar a visão dos demais no atendimento. Ausência de informações de serviços e contratos em braille. Ausência de guarda volumes, mesmo tendo porta com dispositivo de travamento eletrônico.

13 - Banco Santander (Estrada do Mendanha, 555): Ausência de informações de serviços e contratos em braille.

14 - Banco Santander (Estrada do Mendanha, 270): Tempo de espera para atendimento superior a 20 minutos, com relatos de consumidores que estavam há cerca de 1 hora e 30 minutos na fila. A porta giratória estava inoperante, dificultando o acesso dos clientes. Os fiscais deram um prazo de cinco dias para sanar a irregularidade. Ausência de informações de serviços e contratos em braille. Ausência de guarda volumes.

15 - Bradesco (Estrada do Mendanha, 292): O tempo de espera para atendimento no caixa foi de uma hora e 8 minutos. Ausência do Livro de Reclamações. Ausência do Código de Defesa do Consumidor para consulta. Ausência de informações de serviços e contratos em braille. O atendimento regular e preferencial dos caixas é realizado no segundo andar, fazendo com que os clientes tenham que subir dois lances de escada sem acessibilidade.

16 - Santander (Rua Engenheiro Trindade 99, loja A): Ausência de informações de serviços e contratos em braille.

17 - Itaú (Estrada do Mendanha, 200): Atendimento não é realizado por senha numérica. Assentos preferenciais em número insuficiente (o mínimo previsto em lei é de 15). Ausência de guarda volume anterior à porta giratória. Ausência de dispositivo de segurança (biombo). Atendimento superior ao tempo regulamentar de 15 minutos, não podendo precisar pela falta de senha.

18 - Caixa Econômica Federal (Estrada do Mendanha, 256): Ausência do Código de Defesa do Consumidor para consulta. Ausência do Livro de Reclamações. Ausência de informações de serviços e contratos em braille.

19 – Banco do Brasil (Avenida Cesário de Melo, 2.839): Ausência de guarda volumes. Agência recusa atendimento do consumidor se for sinalizada presença de metais, pois não permite a entrada dos mesmos. Tempo de espera para atendimento de 1 hora e 13 minutos. Tempo de pré-atendimento em torno de 20 minutos. Os consumidores aguardavam do lado de fora da agência sob o sol para obter senha. Ausência de dispositivo de segurança entre o público e os caixas. Autenticação de documento feita em documento diverso.

20 – Itaú (Estrada do Rio do A, 901): Ausência do Livro de Reclamações. Ausência de informações de serviços e contratos em braille. Ausência dos 15 assentos mínimos. Atendimento não é realizado por senha numérica. Atendimento superior ao tempo regulamentar de 15 minutos, não podendo precisar pela falta de senha.

Últimas de Rio De Janeiro