Secretaria quer criar protocolo para acidentes na linha férrea

Secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório se reunirá com órgãos para discutir o assunto

Por O Dia

Rio - Uma semana após um trem da SuperVia passar sobre o corpo do morador da Serrinha, Adílio Cabral dos Santos — vítima de acidente fatal na Estação Madureira —, a secretaria estadual de Transportes afirmou que pretende criar um protocolo em casos de acidentes na linha férrea. Durante visita técnica à estação Jardim Oceânico da Linha 4 do Metrô, nesta quarta-feira, o secretário da pasta, Carlos Roberto Osório, afirmou que vai se reunir nesta quinta-feira com a Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Agetransp para discutir o assunto. A reunião será realizado no Centro Integrado de Comando e Controle.

GALERIA: Visita à estação Jardim Oceânico mostra avanços nas obras

"Entendemos que a linha férrea paralisada gera um grande problema de mobilidade diferente de um acidente de trânsito em uma via comum. Por isso queremos que haja uma singularidade de comportamento do que existe hoje programado para o metrô para o sistema ferroviário também. E isso vamos tratar amanhã", declarou o secretário. "Uma lei federal de 1979 já autoriza qualquer funcionário habilitado a parar o funcionamento da linha férrea no metrê em casos de acidente", acrescentou.

Carlos Osório visitou as obras da Linha 4 do Metrô nesta quarta-feiraBruno de Lima / Agência O Dia

Na noite do dia 28 de julho, agente da SuperVia autorizou um maquinista a passar o trem sobre o corpo de uma vítima fatal de um acidente ocorrido na Estação de Madureira. O homem fora atropelado após acessar indevidamente os trilhos. O agente da concessionária, em vez de aguardar a remoção do corpo, deu sinal para que o trem siga viagem. Imagens mostram que, em seguida, a composição passa com todos os vagões sobre o homem morto.

Leia mais:

Enquete: 60% acham correto trem ter passado por cima de corpo na SuperVia

SuperVia diz que trem tinha altura para passar por cima de corpo

Trem passa por cima de vítima de acidente fatal na Estação Madureira

A SuperVia chegou a declarar que verificou, antes, que o trem era mais alto do que o corpo, e que, portanto, não seria violado. A empresa alegou que, a partir dessa constatação, e diante do risco de se criar um problema maior com a retenção de diversos trens, tomou a decisão, em caráter excepcional considerando que na linha havia três trens lotados (cerca de seis mil passageiros) aguardando para seguir viagem. O homem, segundo a Supervia, teria sido morto em um atropelamento ocorrido pouco antes da manobra.

A 29ª DP (Madureira) abriu investigação sobre o caso. Nesta quarta-feira, funcionários da concessionária, entre eles o controlador, operador e maquinista, foram ouvidos. Um reprodução simulada será agendada pela unidade. 

Linha 4 será aberta em junho de 2016

A um ano dos Jogos Olímpicos de 2016, o secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osorio, realizou visita técnica, às obras da Ponte Estaiada e da Estação Jardim Oceânico da Linha 4 do Metrô.

Na Estação Jardim Oceânico, as autoridades fizeram o mesmo trajeto dos passageiros que chegarem à Barra da Tijuca, a partir de 2016, caminhando pelas plataformas de embarque e desembarque e subindo as escadas até o mezanino, onde as bilheterias já foram construídas.

O governo do Rio afirma que a Linha 4 é o maior legado em transporte que a população do Rio ganhará com as Olimpíadas, transportando mais de 300 mil pessoas por dia.

A ligação metroviária entre Ipanema e Barra da Tijuca estará à disposição dos passageiros em junho de 2016, com o início da operação assistida, fora do horário de pico e com intervalos maiores no fluxo dos trens, para que os últimos ajustes operacionais sejam feitos. 

Últimas de Rio De Janeiro