Por paloma.savedra

Rio - Para ir do Jardim Oceânico ao Centro e à Tijuca, os passageiros do metrô precisarão fazer baldeação na Estação General Osório por seis meses após o início da operação assistida da Linha 4, prometido para 1º de junho do ano que vem. Ou seja, o deslocamento só será direto a partir de dezembro, depois da Olimpíada.

“Precisamos de um período inicial de funcionamento pleno da Linha 4 para integrá-la à Linha 1. A partir do início de dezembro, as linhas 1 e 4 estarão totalmente integradas”, explicou o secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osorio, em visita técnica às obras na Barra ontem.

O secretário Osorio visitoua Ponte Estaiada da Barra e a Estação Jardim OceânicoBruno de Lima / Agência O Dia

Após a inauguração da Estação Gávea, que sofreu mudança no projeto e só começará a funcionar no primeiro semestre de 2017, um novo serviço será criado. A partir de então, será possível embarcar em trens vazios naquele bairro até a Estação Uruguai, na Tijuca, passando pelo Centro, também sem trocar de composição.

“Não haverá necessidade de transbordo e o usuário do Leblon e de Ipanema vai ter dois trens passando nessas estações: o que vem da Barra e de São Conrado e o que sai da Gávea, sendo intercalados na grade do metrô”, contou Osorio. Já quem quiser pegar o metrô na Gávea para a Barra terá de descer na Estação Antero de Quental e seguir para o Jardim Oceânico.

Segundo o secretário, após a inauguração da Linha 4, o intervalo entre os trens da Linha 1 será reduzido dos atuais 4min30s à metade. A operação assistida com passageiros será fora dos horários de pico. A partir de 1º de julho, o funcionamento será normal.

Barca nova quebra 2 vezes no mesmo dia

O catamarã Pão de Açúcar, inaugurado em março, deixou os passageiros duas vezes na mão ontem, menos de um mês depois de ter parado no meio da Baía de Guanabara. Um defeito na embarcação Falcão também atrasou a viagem para Paquetá à tarde.

O catamarã Pão de Açúcar ficou parado das 6h30 até as 9h na Estação Arariboia, em Niterói. O resultado foram filas enormes e atrasos. Por volta das 19h, o WhatsApp do DIA recebeu imagens de filas imensas e princípio de tumulto na Praça 15. Segundo leitores, a embarcação estava parada de novo. O catamarã Falcão, que seguiria para Paquetá às 15h30, também teve defeito na Praça 15 e os passageiros esperaram 45 minutos.

A CCR informou que a Pão de Açúcar passou por vistoria da Capitania dos Portos e voltou a operar às 19h40. A concessionária não explicou o problema com o catamarã Falcão.

Colaboraram Flávio Araújo e a estagiária Clara Vieira

Você pode gostar