Por adriano.araujo

Rio - Reféns da tentativa frustrada de assalto a loja de telefonia em um prédio comercial da Rua Voluntários da Pátria, em Botafogo, na Zona Sul, viveram cerca de 20 minutos de pânico no início da manhã desta quinta-feira. Oito pessoas foram mantidas presas por três assaltantes em uma sala, entre elas o vigilante do edifício de número 143. Amarrado com fita crepe, ele era agredido e ameaçado a todo momento para que abrisse a loja da Claro, onde os bandidos pretendiam roubar o cofre e aparelhos eletrônicos.

De acordo com um refém%2C bandidos queriam a chave do cofre, mas vigilante não tinha acessoFabio Gonçalves / Agência O Dia

Um funcionário, que não quis se identificar e trabalha em um call center no prédio, revelou os momentos de pânico que viveu em poder dos assaltantes, que o amarraram assim como o vigilante e um brigadista que trabalham no local. Ele ia para o banheiro escovar os dentes após encerrar o plantão quando percebeu uma movimentação suspeito no térreo. Na saída, foi rendido pelos bandidos. As outras cinco pessoas não foram amarradas.

"Eles amarraram a gente com fita crepe em uma sala do térreo e a todo momento agrediam o vigilante com chutes, socos e pontapés para que ele abrisse o cofre, só que ele falava que a loja só abriria às 9h e ele não tinha acesso" revelou.

O jovem de 21 anos tinha medo que alguém reagisse e a ação criminosa terminasse em tragédia. "Tenho um filho pequeno, fiquei muito nervoso. Só pensava no meu filho. A todo momento um assaltante falava com o vigilante: 'Todo mundo vai morrer por sua causa'. Graças a Deus no final não aconteceu algo de mais grave", disse, aliviado.

Os assaltantes chegaram ao local por volta das 6h com uma mochila e um carrinho de feira para levar o que pretendiam roubar. Pelo menos um deles estava armado. Percebendo que o vigilante não tinha acesso à loja, roubaram os celulares dos reféns e uma mochila. Policiais do 2º BPM (Botafogo) foram acionadas rapidamente e chegaram ao local poucos minutos depois, mas eles já tinham fugido.

A PM faz buscas na região para encontrar os criminosos. O caso foi registrado na 10ª DP (Botafogo). Os criminosos, que ainda não foram identificados, vão ser indiciados por roubo qualificado, cárcere, agressão e ameaça. No início da tarde, a Claro divulgou uma nota oficial informando "que está tomando todas as providências necessárias e colaborando com as autoridades para a apuração da tentativa de assalto à loja em Botafogo, na manhã de hoje. A operadora afirma que todos os esforços foram empregados para que a loja voltasse a funcionar o mais breve possível”.

Você pode gostar