Um dia após secretário ser vaiado, barca apresenta defeito

Um dos motores de um catamarã que atende Terminal Cocotá, na Ilha, apresentou problemas. Atraso na travessia Niterói-Rio também foi relatado; usuário critica Agetransp

Por O Dia

Rio - Um dia após o secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório, ser vaiado em uma estação das barcas, uma embarcação operada pela CCR apresentou problemas, atrasando a viagem de passageiros do transporte aquaviário. O defeito em um dos motores do catamarã Harpia, que faria a viagem das 7h, foi identificado quando ele ainda estava a caminho da Ilha do Governador, na Zona Norte. Segundo a concessionária, ele foi substituído por outra embarcação, que só deixou o local às 7h28.

A CCR afirma que os passageiros foram informados através do sistema de som da estação. Ainda segundo a concessionária, antes de ser identificado o defeito no Harpia, uma embarcação extra já havia partido da Terminal Cocotá rumo à Praça XV. A viagem foi feita às 6h45.

Atraso na travessia Niterói-Rio

O DIA também recebeu relatos de atraso em uma viagem de Niterói para o Rio nesta manhã. Morador da Cidade Sorriso, o leitor Bruno Pereira, 29 anos, ficou irritado pois, segundo ele, a embarcação das 8h40 só deixou o local às 8h50, chegando á capital fluminense por volta das 9h20, ou seja, com 20 minutos de atraso, se considerado o seu horário de partida inicial. Num vídeo enviado para o nosso WhatsApp (98762-8248), ele mostra a sala da Agetransp, a agência estadual que fiscaliza o transporte público, fechada na estação Praça XV. O leitor também reclama que não foi atendido pela ouvidoria da CCR.

LEIA MAIS: Catamarã é reforço na travessia Rio-Niterói

"Era para chegar uma embarcação às 8h40. Como ela não chegou, eles (CCR) colocaram uma barca velha que só chegou às 8h50 (em Niterói) e eu cheguei aqui (no Centro do Rio) a essa hora (9h18). O tempo de travessia estimado pelo contrato é de 20 minutos. Então, era para ter saído 8h40 e 9h já era para estar aqui na estação da Praça XV. Não foi isso que aconteceu... Quando cheguei na Praça XV para fazer uma reclamação com a ouvidoria da Agetransp ou com a ouvidoria da CCR, eu encontro a porta fechada. Isso é um descaso absurdo. Tarifa de R$ 5 com salário mínimo de menos de R$ 800. Isso é inacreditável", desabafou, acrescentando: "A gente fica aqui à mercê da CCR. Essa concessionária que está metendo a mão no bolso do povo carioca".

Procurada pela reportagem, Agetransp informou que a sala da agência na Praça XV não funciona como ouvidoria. "É um local utilizado por fiscais, preparados para realizar atividades de fiscalização, e que percorrem o sistema (estações e embarcações)". Segundo o órgão, reclamações devem ser feitas pelo telefone 0800 285 9796 ou pelo e-mail ouvidoria@agetransp.rj.gov.br.

A CCR admitiu o atraso em Niterói, sem detalhar. A concessionária disse também que usuários podem fazer reclamações através de seu site ou pela Central de Relacionamento (0800 721 10 12 e 0800 025 30 53, no caso de pessoas com deficiência auditiva).

Últimas de Rio De Janeiro