Barra vai ganhar novos quiosques

Estruturas terão banheiros e vão ser colocadas também na Praia do Recreio dos Bandeirantes

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - Vêm aí os quiosques que darão cara nova à orla da Barra da Tijuca e do Recreio. O protótipo do modelo, aprovado em junho pela Prefeitura do Rio, ficará disponível à visitação de cariocas, quiosqueiros e turistas na Praia da Barra a partir das 9h de hoje. Uma das novidades — que vai melhorar e muito a vida dos frequentadores — é que todos terão banheiros.

A Orla Rio, concessionária que detém a exploração comercial dos quiosques nas orlas e autora do projeto, quer revitalizar todos os 98 quiosques das duas praias até os Jogos Olímpicos. As unidades serão padronizadas, duplas, com 30 m² (o dobro da área atual) e terão coberturas para mesas e cadeiras, sem qualquer estrutura que obstrua a circulação dos pedestres.

O protótipo começa a ser exibido hoje%2C às 9h%2C na Lúcio Costa%2C entre os postos 4 e 5. Banheiros não serão subterrâneos como em CopacabanaDivulgação

“Elaboramos uma arquitetura harmonizada com o meio ambiente, sem agredir a paisagem e atendendo ao principal desejo dos operadores, que era ganhar espaço. Predominam o vidro, a fibra na cor de areia e a madeira, trazendo sensação rústica. Nada pode competir com o visual da praia”, diz João Marcello Barreto, vice-presidente da Orla Rio Concessionária. Ao contrário da Praia de Copacabana, os banheiros, na Barra e no Recreio, serão unissex e ficarão nos quiosques, e não no subsolo. As estruturas atuais da Zona Oeste não contam com sanitários.

O projeto também se preocupou em proporcionar economia, poupando o meio ambiente. As unidades terão captação de energia solar com um aparelho conectado ao relógio de luz. “Esse sistema faz com que o relógio ande para frente e para trás e desconta o que foi gerado do total consumido de energia solar. No período de verão, a utilização de energia solar pode chegar a 45% do consumo total”, explica Barreto.

As reformas serão arcadas parte pelos operadores, parte pela concessionária, sem custo para o poder público. O orçamento ainda não foi fechado, porque alguns detalhes ainda podem ser reajustados. A partir de hoje, o projeto será compatibilizado com todos os fornecedores da fibra, do aço inox, do deque e do vidro para que sejam definidos os procedimentos de montagem.

A Orla Rio pretende produzir de 10 a 15 unidades dos novos quiosques por mês. Segundo o representante da empresa, a conclusão até a Olimpíada vai depender dos trâmites finais e da ‘ajuda’ da meteorologia.
O quiosque aberto para visitação fica na Avenida Lúcio Costa, em frente ao número 3.360, entre os postos 4 e 5. Ele será operado comercialmente em setembro, quando os demais entrarão em fase de revitalização.

Ipanema e Leblon

A Orla Rio também está em fase de aprovação do projeto de revitalização dos quiosques de Ipanema e do Leblon, restando apenas a licença ambiental. O modelo definido se assemelha ao de Copacabana, com banheiros no subsolo.

Os três primeiros do Leblon, a partir do Mirante até a Rua Bartolomeu Mitre, não terão subsolo nem banheiro. De acordo com João Marcello Barreto, o motivo são as fortes ressacas do mar naquela área.
Cada duas unidades existentes dali em diante serão unidas em um mesmo deque. “Em vez de fazer um subsolo para cada quiosque, juntaremos dois. Vamos tirar os quiosques do eixo da rua, para que o banhista veja a praia e não o quiosque quando chegar.”

Estima-se que a reforma dure até 30 meses após o início das obras. O subsolo será fornecido em módulos e será apenas encaixado no local escavado, facilitando a montagem.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia