Homem é encontrado morto a tiros a Mangueira

Divisão de Homicídios não encontrou cápsulas ou marcas de sangue na via. Vítima pode ter sido executada em outro local

Por O Dia

Rio - Um homem foi encontrado morto na pista sentido Triagem, da Rua Visconde de Niterói, em frente ao antigo prédio do IBGE, na Mangueira, Zona Norte do Rio, no fim da madrugada desta quarta-feira. A vítima foi assassinada com três tiros, sendo um na nuca.

De acordo com o delegado Pablo Rodrigues, da Divisão de Homicídios da Capital, não havia marcas de tiros e de sangue no local onde o corpo foi encontrado. A suspeita é de que o homem tenha sido morto em outro local e abandonado na via. Abordados por policiais que realizavam a perícia no início da manhã, nenhum morador reconheceu a vítima como sendo da região. Com ele foi encontrado apenas um cartão de ônibus, mas sem identificação.

Corpo encontrado com marcas de tiro foi encontrado em via pública em frente à MangueiraEstefan Radovicz / Agência O Dia

Na manhã de terça-feira, um suspeito foi morto e um policial militar ficou ferido durante uma operação na Mangueira. Bandidos tentaram incendiar um ônibus, depois de agredir e roubar o motorista nas imediações da comunidade O clima ficou tenso até o fim da tarde, com o protesto de moradores que incendiaram lixo em vielas. A UPP recebeu reforço de outras unidades e do Batalhão de Choque para conter os ânimos

No confronto, na localidade conhecida como Icaraí, os PMs da UPP chegaram a ficar encurralados pelos disparos. Alberto Coelho de Medeiros, de 21 anos, e um PM ficaram feridos. Segundo a polícia, o jovem morreu no local. O militar foi atingido de raspão na cabeça e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. O quadro de saúde dele é estável.

Moradores afirmaram que Alberto não era bandido, o que gerou uma onda de revolta contra a ação da PM. O trânsito chegou a ser interrompido na Rua Visconde de Niterói por causa dos disparos e do protesto. De acordo com a polícia, com o morto foi apreendida uma pistola. Na confusão, criminosos tentaram incendiar um ônibus da linha 265 (Marechal Hermes-São Cristóvão), mas foram impedidos pela polícia.

Policiais reforçam o patrulhamento e viaturas fazem rondas no entorno da favela na manhã desta quarta-feira. De acordo com o comandante do 4°BPM (São Cristovão), tenente-coronel Rogério Lobasso, no momento a situação no local está tranquila. A Coordenadoria de Polícia Pacificadora também disse que o policiamento segue reforçado na comunidade.

Últimas de Rio De Janeiro