Por felipe.martins

Rio - O Portal dos Procurados divulga nesta sexta-feira cartaz com recompensa de R$ 1 mil reais, por informações que levem a captura de Mayana Rosa Alves. Ela faz parte de uma quadrilha de mulheres que usa metralhadoras  para roubar cargas de bebidas no entorno do Morro do Chapadão, na Pavuna, Zona Norte do Rio. Esta semana foi presa Rebecca de Oliveira Soares,  a Big Loura, que era uma das líderes do bando.

Mayana também é apontada como sendo uma das lideranças dessa quadrilha. As criminosas roubam os caminhões, e vendem as mercadorias na comunidade, e repassam parte para os traficantes. Tudo isso era feito com aval do traficante Fú da Mineira, preso recentemente, e que também alugava as armas para os roubos.

Portal dos Procurados oferece R%24 1 mil por informações que levem à prisão da suspeitaDivulgação

Para não ser localizada facilmente, Mayana também costuma trocar de pintura do cabelo, variando entre o preto e loiro. Ela usa destes artifícios para não ser presa. No sistema de identificação, existem fotos de Mayana até com cabelos ruivos.

Quem tiver alguma informação a respeito da localização e paradeiro de Mayana Rosa Alves, denuncie, enviando uma mensagem de texto, vídeo ou fotos para o aplicativo de mensagens do WhatsApp do Portal dos Procurados (21) 96802-1650, ou entre em contato com a Central Disque-Denúncia pelo (21) 2253-1177 ou 0300-253-1177, para quem estiver fora da capital.

O Anonimato é garantido. A Coordenação do Portal dos Procurados, alerta à população para não nunca investigar por conta própria, devendo apenas relatar à polícia a sua suspeita.

Big Loura foi presa na quarta-feira

Apontada pela polícia como líder de uma quadrilha que usa metralhadoras para roubar cargas no entorno do Morro do Chapadão, na Pavuna, Rebecca de Oliveira Soares, a Big Loura, foi presa nesta quarta-feira por agentes da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC). Contra ela, que foi presa na casa da tia, em Anchieta, foi cumprido um mandado de prisão por roubo qualificado.

Segundo o delegado Marcelo Martins, titular da DRFC, além de Rebecca, há outras duas mulheres que atuam na quadrilha. “É uma quadrilha perigosa e que atua na região do Chapadão. Para não ser localizada, a líder do grupo, a Rebecca, chegou a pintar o cabelo de preto. Ela usa destes artifícios para não ser presa. Há no sistema fotos dela com cabelo ruivo também”, detalhou o delegado.

Antes e depois%3A Rebeca%2C com os cabelos louros e lente de contato%2C como costuma atuar durante os roubos%3B e de cabelo preto%2C como foi presa ontem pela políciaMontagem de divulgação

Ainda de acordo com Marcelo Martins, o trio contava com apoio do tráfico de drogas do Chapadão, que é dominado pelo Comando Vermelho (CV).

“Elas roubavam os caminhões e já subiam para a comunidade, onde vendiam os produtos e distribuíam para os criminosos, com nota e tudo mais”, explicou o policial.

Você pode gostar