Por felipe.martins

Rio - Cerca de 200 comerciantes conseguiram alvarás para trabalhar no Mercado Popular Leonel de Moura Brizola, na Central do Brasil. O local foi construído em 2012 para abrigar comerciantes que perderam suas lojas no incêndio do antigo Camelódromo, ao lado do Terminal Rodoviário Américo Fontenelle. O espaço de 8.600 metros quadrados foi definido pela prefeitura para ter 607 boxes, em dois prédios de três andares.

Na tarde de quinta-feira, a Secretaria Municipal de Trabalho e o Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis fizeram o cadastramento dos profissionais. O mercado, localizado na Rua Bento Ribeiro, 86, conta com 371 associados.;

Os associados são responsáveis por estabelecimentos de vestuários, calçados, informática, alimentação e salões de beleza. Segundo informações da assessoria de imprensa da Secretaria de trabalho, há um projeto de adequação estrutural para implementar o comércio de atacado.
De acordo com o secretário de Trabalho e Emprego, Augusto Ribeiro, ao exercerem atividade comercial formalizada, os afiliados e consumidores terão estrutura adequada e segura. “O processo de entrega continua, todos obterão os alvarás especiais. Os que recebem hoje são aqueles que atuam há mais tempo no mercado”, garantiu Ribeiro.

Já o secretário municipal de Obras, Leandro Matieli, afirmou que a entrega dos alvarás para os comerciantes insere os trabalhadores na formalidade e confere também uma série de benefícios. “Eles passam a ter acesso, como o crédito bancário, por exemplo, a partir do momento em que se transformam em microempresários ou microempreendedores individuais”, declarou o secretário Leandro Matieli.

Você pode gostar