Baleado na Babilônia é suspeito de chefiar tráfico em comunidade

Moradores do Babilônia, no Leme, ficaram assustados com o intenso tiroteio; armas foram apreendidas na operação

Por O Dia

Rio - Cenário da novela das 21h da Rede Globo, Babilônia, o morro de mesmo nome, no Leme, bairro nobre da Zona Sul, foi palco de um intenso tiroteio entre PMs da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Chapéu Mangueira/Babilônia e traficantes, na tarde desta sexta-feira. Um suspeito, identificado como Ítalo da Conceição Marinho e conhecido como Boquinha, foi baleado. 

Segundo a PM, ele é um dos chefes do tráfico de drogas na Ladeira dos Tabajaras, comunidade de Copacabana que também tem UPP. Ele está internado no Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, sob custódia. Seu estado de saúde é considerado estável.

Medo no Babilônia%3A polícia apreendeu granada%2C drogas e armamentos. Tiroteio foi na tarde de ontem Márcio Mercante / Agência O Dia

O tiroteio aconteceu na localidade da Caixa D’água, que fica a cerca de 50 metros de uma trilha que é muito frequentada por turistas. De acordo com um PM que participou do confronto, uma equipe da UPP fazia patrulhamento no alto do Morro da Babilônia quando os policiais se depararam com mais de dez bandidos armados. Houve troca de tiros e o suspeito foi baleado. Granadas, armas, munição e drogas foram apreendidas. O confronto assustou moradores da comunidade e das ruas no entorno.

Ainda segundo a UPP, o restante da quadrilha fugiu para o interior da mata. Até as 19h, policiais faziam buscas para tentar prender os bandidos. Foram apreendidas duas pistolas calibre .40, quatro granadas, dois radiotransmissores, duas facas, toucas ninjas, munições dos calibres 9mm, 556 e .40, e drogas. O policiamento foi reforçado no Leme e o comércio funcionou normalmente.

A 12ª DP (Copacabana) investiga a suspeita de que a quadrilha estaria baseada na mata para tentar tomar o controle do trafico de drogas no Babilônia.

A implantação da UPP Chapéu Mangueira/Babilônia, em junho de 2009, revelou ao Rio uma nova opção de turismo nas duas comunidades. Com uma trilha de três quilômetros mata a dentro e uma clareira onde se tem vista para a Baía de Guanabara, Enseada de Botafogo e a Praia de Copacabana.

Últimas de Rio De Janeiro