Polícia Civil faz ação contra quadrilha que falsifica ingressos do Rock in Rio

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos e um homem foi preso. Até falsa promessa de emprego era feita

Por O Dia

Rio - Policiais da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) realizaram operação, na manhã desta segunda-feira, para cumprir nove mandados de busca e apreensão contra uma quadrilha que usa o nome do Rock in Rio, que acontece em setembro no Rio, para cometer fraudes. Um homem foi preso em flagrante em posse de uma arma e drogas e o mentor do esquema foi levado à delegacia para prestar esclarecimentos.

Segundo Alessandro Thiers, titular da especializada, criminosos vendiam ingressos falsos pela Internet com preço abaixo da tabela, exigiam um valor de R$ 150 dos candidatos para que fosse feito o credenciamento no evento e rometiam até vagas de emprego, com ganhos de R$ 8.400, para quem quisesse trabalhar no evento. "Eles se aproveitam do evento, o Rock in Rio, para praticar crimes, como a venda de ingressos falsos e até oferta de empregos", disse, acrescentando: “Qualquer vítima de crimes deste tipo pode procurar a DRCI. O dono da empresa foi ouvido e confessou o crime. Ele irá responder por estelionato”.

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos na capital (6) e na Baixada Fluminense (2), e também em São Paulo (1). Num deste locais, agentes encontraram um homem com uma arma e drogas. Ele foi preso em flagrante. Apreensões que comprovam os crimes foram realizadas.

Com o apoio o Rock in Rio, que denunciou a prática, a DRCI identificou e indiciou duas pessoas que seriam os mentores do esquema criminoso, sendo um deles localizado e levado para prestar esclarecimentos. Conforme a organização do evento informou na delegacia, somente no ano de 2013, aproximadamente 500 pessoas podem ter sido enganadas em golpe semelhante.

Últimas de Rio De Janeiro