Por thiago.antunes

Rio - O juiz Pedro Henrique Alves, titular da 1ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso da capital, determinou nesta terça-feira, que a Prefeitura do Rio de Janeiro suspenda a demolição das casas localizadas na Favela Metrô-Mangueira, em que residam crianças e adolescentes. O magistrado aceitou parcialmente a antecipação dos efeitos da tutela em ação civil pública ajuizada pela Defensoria Pública. Em caso de descumprimento da decisão, a multa será de R$ 100 mil por cada residência demolida.

Moradores da Favela do Metrô estiveram no local buscando objetos pessoais após a demolição dos imóveis em maio. Na entrada da Uerj ainda há sinais do violento protestoFoto%3A Severino Silva / Agência O Dia

Na decisão, o magistrado também determina que a prefeitura apresente relatório no prazo de cinco dias informando o local em que as famílias com crianças e adolescentes serão reassentadas, após a demolição de suas casas; a escola que frequentarão, visando dar continuidade aos estudos; e a previsão de pagamento do benefício do aluguel social.

LEIA MAIS: Justiça proíbe novas demolições na Favela do Metrô

Segundo o processo, na comunidade vivem aproximadamente 22 famílias, com 34 crianças e nove adolescentes.

Você pode gostar