Mais de 2.400 alunos ficam sem aula após tiroteios nas zonas Norte e Oeste

Nove escolas da rede municipal tiveram suas atividades suspensas nesta terça-feira

Por O Dia

Rio - Nove unidades da rede municipal de ensino tiveram suas atividades suspensas nesta terça-feira, nas zonas Norte e Oeste. O motivo foi a realização de diversas operações policiais em comunidades de Madureira, Turiaçu, Praça Seca e Jacarepaguá. Com isso, de acordo com a Secretaria Municipal de Educação (SME), 2.440 alunos ficaram sem aula nessas regiões. Segundo a SME, o conteúdo perdido será reposto. Já a Secretaria de Estado de Educação afirmou que todas as suas unidades nesses bairros estão funcionando normalmente.

Pela manhã, um intenso tiroteio assustou os moradores de Madureira. Policiais do 9ºBPM (Rocha Miranda) realizaram uma operação contra o tráfico de drogas no Morro da Serrinha. Houve tiroteio, mas não há relatos de feridos. Já no Faz Quem Quer, em Rocha Miranda, agentes da Divisão de Homicídios (DH) da Capital realizaram uma operação para cumprir mandados de prisão e busca e apreensão contra envolvidos em homicídios. A Polícia Civil não divulgou os números da ação.

VEJA MAIS

Policiais são recebidos a tiros no Morro da Covanca, em Jacarepaguá

Tiroteio em favelas assusta moradores da Zona Norte da cidade

Através do WhatsApp do Dia (98762-8248), uma mulher desabafou contra as constantes trocas de tiros na região. "O que separa Oswaldo Cruz de Rocha Miranda é o Parque de Madureira, que fez Oswaldo Cruz se tornar mais caro (aluguel, IPTU, luz e etc). Investiu em beleza mas a segurança piorou e os assaltos também. Moro aqui há 42 anos e nunca vi tanta violência. Socorro!", pediu.

Também pela manhã, policiais do 18ºBPM (Jacarepaguá) foram recebidos a tiros por criminosos quando faziam patrulhamento na comunidade da Covanca, em Jacarepaguá. Segundo informações da Polícia Militar, foi solicitado reforço de PMs da própria unidade. No momento do confronto, o trânsito na Rua Cândido Benício chegou a ficar interrompido. Os motoristas tentavam fugir do local, temendo balas perdidas.

Últimas de Rio De Janeiro