Líder do movimento negro, Abdias Nascimento ganha biografia

Livro será lançado nesta quarta-feira. Político lutou contra o racismo

Por O Dia

Atuante dos anos 1930 até sua morte%2C ele ajudou Brizola a fundar o PDT Alexandre Brum / Agência O Dia

Rio - Poeta, dramaturgo, jornalista, professor e um dos maiores expoentes do movimento negro do século XX, Abdias Nascimento teve tempo, em seus 97 anos vida, para ser deputado e senador da República. Por onde passou, dedicou-se a combater o racismo e à valorização da ancestralidade afro-brasileira e dos direitos humanos. Teve uma trajetória múltipla, rica, revisitada em biografia escrita por sua viúva Elisa Larkin Nascimento, e que será lançada hoje no Rio, no Centro Cultural Justiça Federal.

Parte da coleção ‘Grandes Vultos Que Honraram o Senado’, o livro tem seu texto de apresentação escrito pelo senador Paulo Paim (PT-RS), e traça o percurso histórico da militância do líder negro, cujos 100 anos foram celebrados em 2014. A abertura do livro recorda a década de 1980, quando Abdias foi o único negro a ocupar uma cadeira na Câmara dos Deputados na legislatura anterior à da Assembleia Nacional Constituinte, de 1987, quando propôs, por exemplo, a criação do Dia Nacional da Consciência Negra, que viria anos mais tarde. Depois, Elisa volta no tempo e recorda a época do jovem soldado na Revolução de 1930, que levou Getúlio Vargas ao poder, ao papel na fundação do PDT, ao lado de Leonel Brizola, em 1980 e o mandato de senador no final da década de 1990.

“Abdias dedicou sua vida aos direitos humanos, à cultura e à história africanas. A questão racial segue viva, e a sociedade segue relutando em enfrentá-la”, opina Elisa.

Viúva de Abdias Nascimento: 'Racismo é parte do cotidiano do brasileiro'

Últimas de Rio De Janeiro