Por karilayn.areias

Rio - Cerca de 70 famílias cujos imóveis financiados foram à leilão sem aviso prévio no bairro Valverde, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, contarão com a ajuda da Defensoria Pública. Os moradores reuniram-se com defensores por duas vezes para analisar caso a caso e adotar as medidas judiciais cabíveis em cada situação, o que poderá ocorrer através de procedimento coletivo ou individual.

Os leilões foram promovidos pelo banco Bradesco e estão temporariamente suspensos em razão de tutela antecipada deferida pela 24ª Câmara Cível. Os moradores do Valverde afirmam que financiaram os imóveis pelo então banco Banerj e que deixaram de receber os boletos mensais quando o mesmo entrou em liquidação.

Ainda de acordo com as famílias, durante anos, faltaram explicações de como proceder para quitar a dívida e, por isso, a situação perdurou até o arremate do Berj pelo Bradesco.


Você pode gostar