Por thiago.antunes

Rio - O prefeito Eduardo Paes tinha vetado a criação de uma lei que tomba o nome "Copacabana Palace", do centenário hotel da Zona Sul carioca, porém o plenário da Câmara Municipal do Rio de Janeiro optou, na noite desta quarta-feira, por derrubar a proibição do Executivo. Para entrar em vigor, o texto agora só depende da sanção do presidente da casa, Jorge Felipe, que deve acatar a decisão dos vereadores do Rio nos próximos dias.

Estava nos planos do Grupo Orient Express mudar o nome do Copacabana Palace, que foi adquirido da família Guinle em 1989, para Belmond Copacabana. Uma campanha de marketing estimada em cerca de US 15 milhões seria utilizada para divulgar no mundo todo o nome Belmond, adotado na coleção de hotéis do grupo. Contudo, em junho deste ano, o vereador Jorge Manaia (SDD) conseguiu a aprovação do projeto de lei, que tombou o nome “Copacabana Palace”, para fins de preservação histórica e cultural.

LEIA MAIS: Câmara Municipal aprova projeto de lei que tomba o nome 'Copacabana Palace' 

"O nome do Hotel Copacabana Palace constitui-se em um patrimônio brasileiro, e, mais especificamente, carioca, que está sendo ameaçado por questões comerciais, às quais entende-se serem importantes, mas que de nenhuma maneira podem sobrepujar o seu valor histórico, cultural e, até mesmo sentimental, de que é revestido para o povo carioca”, afirmou o parlamentar.

Em abril deste ano, o juiz Cláudio Augusto Annuza Ferreira, da 9ª Vara de Fazenda Pública, negou o pedido de Omar Resende Peres Filho, feito através de ação popular, para impedir a mudança do nome do Hotel Copacabana Palace para Belmond Copacabana Palace.

Você pode gostar