Universidade reforça segurança interna após denúncia de tentativa de estupro

Aluna relatou que foi atacada por desconhecido no 4º andar da instituição; caso foi registrado na 18ª DP (Praça da Bandeira)

Por O Dia

Rio - Um dia depois de alunos denunciarem uma tentativa de estupro na Universidade Veiga de Almeida (UVA), na Tijuca, na Zona Norte, a instituição informou nesta sexta-feira que reforçou a segurança no campus e que ainda aumentará a equipe em 20%.

O caso foi relatado nesta quinta-feira na página UVA da Depressão e a aluna vítima registrou o ataque na 18ª DP (Praça da Bandeira). Segundo o delegado titular da unidade, Marcus Neves, o relato da jovem configura crime por importunação ofensiva ao pudor, e não estupro. Ele afirmou ainda que os envolvidos serão chamados para depor na DP.

Página UVA da Depressão denunciou uma tentativa de estupro na instituição nesta quinta-feiraReprodução Facebook

De acordo com os alunos, a menina teria sido abordada no 3º andar do bloco C, às 7:15, onde a aluna relata ter sido agarrada e forçada a ir para um local com menos movimentação no 4º andar do mesmo prédio. Ainda de acordo com o texto, "após conseguir escapar da situação, solicitou socorro aos seguranças da instituição, que não se comprometeram a prestar os cuidados necessários. A aluna ainda relata que tentou informar o caso a instituição (UVA), porém não obteve sucesso".

O pai da menina foi ao local e os dois foram até a delegacia para registrar o caso. A aluna diz que foi procurada algumas horas depois por representantes da instituição de ensino, que buscavam mais informações sobre o caso. Ela ainda tentará identificar o homem pelas imagens do circuito interno do campus. Por meio de nota, a UVA afirmou que repudia toda e qualquer forma de violência verbal ou física.

A instituição ouviu a aluna que relatou que houve uma tentativa de beijo forçado, por parte de um rapaz ainda não identificado, e que o mesmo, ao perceber que havia outras pessoas chegando, se retirou. A instituição também está colaborando com as investigações. 

Últimas de Rio De Janeiro