UFRJ volta às aulas após greve

Professores e estudantes têm pela frente o desafio de repor dois meses de conteúdo em pouco mais de 30 dias

Por O Dia

Rio - A reposição de aulas na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) começou nesta segunda-feira em ritmo lento após quatro meses de greve. O início da paralisação de estudantes e funcionários foi em maio. Em junho, os professores aderiram e só interromperam o movimento no último dia 21. Os técnicos permanecem parados, o que prejudica toda a área administrativa da universidade.

Durante toda a manhã, o movimento de estudantes e professores no campus da Praia Vermelha ainda era pequeno. Eles terão o desafio de repor todo o conteúdo perdido em pouco mais de um mês de aulas.

Campus da Praia Vermelha%2C da UFRJ%3A recomeço do semestre em ritmo lento. Greve de técnicos continuaMaíra Coelho / Agência O Dia

Entre os mais prejudicados, estão os estudantes de medicina que prestariam as provas da residência médica em julho. Estudantes que vieram de outras partes do estado e do país também sofrem com a interrupção das aulas. De Petrópolis, na Região Serrana, a aluna do sexto período de Fonoaudiologia Isis Seixas, 21 anos, conta que ia à faculdade sem aulas “por causa do estágio.”

Colegas de turma de Isis, Bianca Moreira, de 22 anos, e Natalia Moura, de 21, tiveram que pagar a república de estudantes, mesmo sem usar, para não perder a vaga. “Teve gente que ficou aqui no Rio, hospedados, por conta dos cursos de línguas, que são abertos à comunidade, e da iniciação científica”, relatou Bianca.

Os técnicos da UFRJ decidem hoje em assembleia se continuam em greve. Se continuarem, a reitoria garante que os alunos não serão prejudicados e que conseguirão fazer as matrículas para o próximo semestre. As aulas de reposição vão até 17 de outubro. O segundo semestre de 2016 será entre 26 de outubro e 18 de março de 2016.

A greve nacional das universidades federais foi causada por cortes no orçamento. Na UFRJ, a redução orçamentária interrompeu obras e atrapalhou a manutenção dos edifícios. A estimativa de déficit é de R$ 300 milhões.

Universidades do Rio entre as melhores

A Universidade Federal do Rio de Janeiro obteve o segundo lugar no ranking anual de universidades da Folha de S. Paulo. A lista ainda inclui mais duas instituições do Rio, a Universidade Federal Fluminense e a Universidade do Estado do Rio de Janeiro entre as 15 primeiras do país.

A UFRJ só perdeu para a Universidade de São Paulo (USP), que também está bem cotada entre as 100 melhores do mundo, segundo o World Ranking Universities, nos Estados Unidos.

Com a classificação das três instituições do Rio, o estado mantém sua boa colocação no país, perdendo apenas para São Paulo. Os paulistas tem quatro instituições entre as 15 melhores brasileiras. 

A UFRJ tem mantido seu bom posicionamento nos rankings internacionais. Em maio, ela subiu cinco posições no QS World University Ranking, passando da 8ª para a 4ª colocação na América Latina.

Últimas de Rio De Janeiro