Por felipe.martins

Rio - Vinte e quatro jovens foram apreendidos por policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro na AV. Presidente Antônio Carlos, no Centro do Rio, nesta quarta-feira à tarde. Segundo os militares, o grupo estava em um ônibus da linh a474 (Jacaré-Jardim de Alah) e, com os adolescentes, foram encontrados três cordôes de ouro que eles não souberam explicar a procedência. Os menores foram levados para a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA).

Segundo o comando da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, os policiais estavam a caminho do Tribunal de Justiça, por volta das 16h30 desta quarta-feira, quando foram avisados que um grupo estava realizando assaltos dentro do ônibus. O coletivo foi abordado na Avenida Presidente Antônio Carlos, altura do Largo do Paço e, com a ajuda do motorista e de passageiros, todos foram identificados.

Jovens foram apreendidos em ação da Polícia MilitarDivulgação

Justiça proibiu apreensão de menores sem flagrante

A Justiça do Rio proibiu na última quinta-feira as ações da Polícia Militar para apreender adolescentes a caminho da praia sem que haja flagrante de crime. As operações vinham ocorrendo desde o início do ano. Os ônibus eram parados durante o trajeto e os jovens retirados e apreendidos.

A decisão foi tomada pelo juiz Pedro Henrique Alves, da 1ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso da capital. A determinação atende parcialmente ao pedido de habeas corpus preventivo impetrado pela Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro contra atos da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV) e da Delegacia de Proteção da Criança e do Adolescente (DPCA).

Durante audiência especial, o juiz se reuniu com representantes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SMDS), das polícias Civil e Militar, dos Conselhos Tutelares, do Ministério Público e da Defensoria Pública. No encontro, foi apresentado um documento que estabelece ações integradas entre as instituições.

O magistrado determinou também que os delegados da DCAV e da DPCA informem mensalmente ao juízo os registros dos adolescentes apreendidos sem flagrante e que as entidades de acolhimento enviem relatório no prazo de 24 horas com os nomes dos jovens.

No documento que prevê o trabalho conjunto entre as instituições públicas, a PM se comprometeu a instalar um Centro de Comando e Controle Móvel Local no Arpoador, na Praia de Ipanema, monitorar delitos na orla das praias através do setor de inteligência e só fazer buscas em ônibus quando houver necessidade.

A Polícia Civil informou que vai implantar um posto móvel no Arpoador, próximo à unidade da PM, para facilitar a verificação de antecedentes criminais e mandados de prisão ou de busca e apreensão em aberto.

Você pode gostar