Morre no Rio o diretor de TV e cinema Carlos Manga

Artista dirigiu uma das duplas de maior sucesso da comédia brasileira, Oscarito e Grande Otelo

Por O Dia

Rio - Morreu nesta quinta-feira, aos 87 anos, o diretor de cinema e TV Carlos Manga. Um dos mais importantes cineastas do período de ouro das chanchadas do cinema nacional, Manga foi responsável por dirigir uma das duplas de maior sucesso da comédia brasileira, Oscarito e Grande Otelo. Foi levado para a televisão por outro grande comediante brasileiro, Chico Anysio. A estreia na TV Rio, foi no programa Chico Anysio Show. Ele dirigiu o mesmo programa na TV Globo, onde também comandou a produção de telenovelas. Manga morreu em casa, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. A família não divulgou até o momento a causa da morte. 

Um dos filmes de sucesso com a dupla Oscarito e Grande Ostelo foi Matar ou Correr, em 1954. Em 10 anos, entre 1952 e 1962, participou da produção de 20 filmes da Atlântida, seja na direção, produção, roteiro ou montagem. Com o fim da produção nos estúdios da Atlântida, afastou-se do cinema até 1974 quando escreveu e dirigiu os filmes O Marginal e Assim Era a Atlântida. Em 1986, voltou ao cinema após um hiato de 12 anos para dirigir seu último trabalho para a tela grande: Os Trapalhões e o Rei do Futebol, com a participação de Pelé. 

Manga dirigiu produções de sucesso no cinema e na TVDivulgação / TV Globo

Em 1983 recebeu um prêmio Kikito especial no Festival de Gramado pelo conjunto da obra e doze anos depois recebeu o Troféu Oscarito, no mesmo festival.

Dentre os folhetins dirigidos por Manga na Globo estão Anjo Mau, Torre de Babel, Agosto e Memorial de Maria Moura. A última novela do núcleo de Manga na emissora carioca foi Eterna Magia, em 2007. 






Últimas de Rio De Janeiro