Por clarissa.sardenberg

Rio - O corpo do diretor Carlos Manga é velado no Cemitério Memorial do Carmo, no Caju neste sábado, na Zona Portuária, e em seguida será cremado. Personalidades da TV, amigos e familiares compareceram ao local para dar o último adeus ao diretor que morreu após problemas respiratórios, nesta quinta-feira, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Ele tinha 87 anos.

Amigo há muitos anos do diretor, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, compareceu à cerimônia e destacou a importância do diretor para a TV brasileira.

Manga foi um dos mais importantes cineastas do período de ouro das chanchadas do cinema nacional, responsável por dirigir uma das duplas de maior sucesso da comédia brasileira, Oscarito e Grande Otelo. 

Manga dirigiu produções de sucesso no cinema e na TVDivulgação / TV Globo

Ele foi levado para a televisão por outro grande comediante brasileiro, Chico Anysio. A estreia na TV Rio, foi no programa Chico Anysio Show. Em seguida, dirigiu o mesmo programa na TV Globo, onde também comandou a produção de telenovelas. 

Um dos filmes de sucesso com a dupla Oscarito e Grande Ostelo foi Matar ou Correr, em 1954. Em 10 anos, entre 1952 e 1962, participou da produção de 20 filmes da Atlântida, seja na direção, produção, roteiro ou montagem. 

Boni se despediu do diretor Carlos Manga%2C no Cemitério Memorial do Carmo%2C no CajuAnderson Borde/ AgNews

Com o fim da produção nos estúdios da Atlântida, afastou-se do cinema até 1974 quando escreveu e dirigiu os filmes O Marginal e Assim Era a Atlântida. Em 1986, voltou ao cinema após um hiato de 12 anos para dirigir seu último trabalho para a tela grande: Os Trapalhões e o Rei do Futebol, com a participação de Pelé. 

Em 1983 recebeu um prêmio Kikito especial no Festival de Gramado pelo conjunto da obra e doze anos depois recebeu o Troféu Oscarito, no mesmo festival.

Dentre os folhetins dirigidos por Manga na Globo estão Anjo Mau, Torre de Babel, Agosto e Memorial de Maria Moura. A última novela do núcleo de Manga na emissora carioca foi Eterna Magia, em 2007. 


Você pode gostar