Mais de 150 produtos piratas com a marca do Rock in Rio são apreendidos

Além do material recolhido, nove pessoas foram presas em ação do Ministério Público para combater a falsificação

Por O Dia

Rio - Ao todo, 157 produtos falsificados com a marca do Rock in Rio foram apreendidos durante ação do Ministério Público do Rio nos três primeiros dias do festival. Na operação, quatro pessoas foram presas e, com elas, foram apreendidos 90 chaveiros, 27 camisas, 30 bandanas e 10 copos por violação da lei de crime contra a marca.

Além delas, outras cinco pessoas foram presas com 12 ingressos em seu poder, por atuarem como cambistas, além do dinheiro adquirido pela venda. As ações foram realizadas pela promotoria de Justiça junto ao IX Juizado Criminal da Barra da Tijuca.

Segundo o promotor de Justiça Márcio Almeida, desde a quinta-feira, véspera da abertura do festival, foram realizadas diligências para prevenir a chegada de material pirateado em locais próximos, comumente utilizados para armazenar os objetos.

Os responsáveis por tais locais foram notificados de que haveria severa repressão caso auxiliassem, de qualquer forma, o desenvolvimento da prática criminosa da venda ou exposição à venda dos produtos.

“A antecedência do trabalho de prevenção e a repressão aplicada nas edições anteriores culminaram com a clara percepção da redução de produtos falsificados expostos à venda”, afirmou Almeida. Ainda de acordo com o promotor, a produção do evento informou que esse trabalho resultou em maiores índices de venda dos produtos oficiais, em comparação aos primeiros dias das demais edições.

Nesta semana, a promotoria de Justiça continuará as operações de combate aos cambistas e à comercialização de produtos pirateados.


Últimas de Rio De Janeiro