Linha 4 do metrô conclui abertura de túnel entre Barra e Leblon

Inauguração está prevista para fim de 2016

Por O Dia

Rio - A Barra da Tijuca já está ligada ao Leblon pelo túnel de 12 quilômetros de extensão no qual passarão as composições da Linha 4 do metrô. Agora falta ao aparelho de perfuração em rochas ‘Tatuzão’ concluir pouco mais de 1,2 quilômetro de seu percurso que vai de Ipanema ao encontro do trecho já pronto, na Zona Sul, o que deve ocorrer em dezembro.

O início da operação assistida da Linha 4 está previsto para junho, enquanto em dezembro de 2016 o transporte de passageiros deve ser iniciado. A conclusão das obras — um dos principais legados da Olimpíada — depende de empréstimo de R$ 444 milhões já solicitado ao BNDES.

Nesta quarta-feira, durante cerimônia de conclusão do trecho, o governador Luiz Fernando Pezão afirmou que pretende alocar os 9.200 funcionários que trabalham nas obras da Linha 4 em outras importantes intervenções da mobilidade urbana carioca, como a ampliação da Linha 2 (Estácio-Praça XV), a Linha 3 (Barcas de Niterói a São Gonçalo) e a estação Gávea da Linha 4, prevista para 2017.

Trecho a ser perfurado é de aproximadamente 1%2C2 quilômetrosSeverino Silva / Agência O Dia

“Temos a responsabilidade de fomentar empregos e tratam-se de profissionais qualificados, experientes. Já manifestamos esta vontade antes e agora dependemos do início das outras obras”, afirmou. De acordo com o secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório, a Linha 4 será o principal meio de locomoção para cariocas e estrangeiros nos Jogos Olímpicos de 2016. “Atuaremos com operação especial e intervalos diferenciados para que todos cheguem às instalações. Os passageiros descerão no Jardim Oceânico e irão de BRT aos locais de prova”, explicou. Segundo Osório, na sequência de prioridades após a conclusão dos trabalhos da Linha 4 está a ampliação da Linha 2. Pelo ramal que ligará o Estácio à Praça XV — com parada na carioca — devem passar até 400 mil pessoas por dia.

Por se tratar de uma extensão, o projeto de engenharia deve sair até março do ano que vem e os custos serão definidos através de estudo encomendado à Fundação Getúlio Vargas. “A concessionária Metrô Rio deve ficar coma obra que é considerada rentável, dado o baixo custo e número elevado de passageiros”, completou.

Já a Linha 3, que ligará a Praça Araribóia, em Niterói, até São Gonçalo pelo itinerário da antiga linha férrea da cidade, inicialmente caminharia sobre monotrilhos. No entanto, após estudos, foi constatada a necessidade de trens do metrô. Ao final das intervenções, passageiros poderão ir da Barra da Tijuca até São Gonçalo utilizando o sistema integrado de metrô e barca.

Últimas de Rio De Janeiro