Linha 474 será mantida só aos finais de semana e feriados

Decisão é para evitar a acusação de que a mudança nos ônibus seria para dificultar ida de moradores de subúrbios às praias da Zona Sul

Por O Dia

Rio - Por sugestão de Eduardo Paes, Rafael Picciani, secretário municipal de Transportes, decidiu que a linha de ônibus 474 (Jacaré-Jardim de Alah) vai continuar a circular, mas apenas nos fins de semana e feriados. Pelo projeto de reformulação dos transportes que começará a ser implantado em outubro, a linha seria extinta.

A decisão de manter o 474 em dias específicos foi para evitar a acusação de que a mudança nos ônibus seria para dificultar a ida de moradores de subúrbios às praias da Zona Sul.

Sem gastos adicionais

Picciani ressalta que as alterações estão previstas há muito tempo e não têm relação com os arrastões. Segundo o secretário, as mudanças não farão com que passageiros tenham que gastar mais dinheiro com passagens. Isto, mesmo no caso dos que hoje utilizam linhas diretas que vão deixar de circular. A prefeitura afirma que serão mantidos ônibus que ligam a Zona Norte à Zona Sul e que não passam pelo Centro.

BRT reclama

O Consórcio BRT reclamou com o Procon Estadual, que acusara o sistema de não transportar gratuitamente pessoas com deficiência que se dirigem ao Rock in Rio. O grupo diz que a lei está sendo cumprida normalmente.

Empréstimo em dólar

Apesar da disparada do dólar, Paes defende o empréstimo de US$ 1,045 bilhão contraído, em 2010, no Banco Mundial — a cotação do dólar era inferior a R$ 1,90 (hoje, está em torno de R$ 4). As parcelas pagas ao banco são fixadas na moeda norte-americana. O prefeito afirma que a grana permitiu a redução dos juros pagos ao governo federal.

Cotação

Segundo a Secretaria de Fazenda, para o empréstimo ser prejudicial ao município, o dólar, hoje, teria que valer R$ 6.

Últimas de Rio De Janeiro