Alta do dólar faz passar de R$ 16 milhões dívida mensal da prefeitura

Valor é pago mensalmente ao Banco Mundial para amortizar empréstimo de R$ 1,045 bilhão

Por O Dia

Rio - O estouro do dólar fez com que, em um ano, pulasse de R$ 7,901 milhões para R$ 16,116 milhões o valor pago mensalmente pela prefeitura para amortizar empréstimo de R$ 1,045 bilhão contraído junto ao Banco Mundial (Bird). Em 2010, quando a operação foi fechada, o dólar não chegava a R$ 1,90. 

A Secretaria de Fazenda, porém, diz que o empréstimo foi vantajoso, já que o dinheiro foi usado na redução, de 9% para 6%, de juros pagos ao governo federal. A taxa fixada no contrato com o Banco Mundial é de 3,6%.

Só em 2040

A prefeitura ressalta que a amortização previa parcelas crescentes e que sobre elas incide percentual de 0,3%. Diz ainda que a alta do dólar também geraria aumento na dívida com o governo federal. O empréstimo com o Bird será quitado em 2040.

Currículo

Presidente da Associação Estadual de Municípios, aquela que convocou paralisação de serviços em 35 cidades do estado, Anderson Zanon, prefeito de Sapucaia, já teve mandato cassado duas vezes por fraude em documento em sua prestação de contas. Ele se mantém no cargo graças a recurso.

Em falta

O deputado estadual Eliomar Coelho (Psol) reclama: das nove perguntas que fez à Fetranspor sobre o RioCard apenas duas foram respondidas.

Marineiro

Com problemas para entrar no Psol, o vereador Leonel Brizola Neto também estaria disposto a cair na Rede de Marina Silva.

Crise tucana

A vereadora Teresa Bergher (PSDB) anda irritadíssima com a direção do seu partido no estado e no município. Anda dizendo até que pode deixar o ninho tucano. O outro vereador, Junior da Lucinha, deve ir para o PMDB.

Últimas de Rio De Janeiro