Operação em conjunto do 'Minha Casa, Minha Vida' deixa 2,5 mil sem aula

Ação começou no início da manhã desta terça. Três pessoas foram presas e uma foi atingida por disparo durante confronto

Por O Dia

Rio - A operação realizada pela Polícia Civil no Conjunto Habitacional Haroldo de Andrade, em Barros Filho, Zona Norte da cidade, deixou 2.542 alunos sem aula, na manhã desta terça-feira. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, seis escolas, duas creches e três Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDIs) ficaram sem atendimento, naquela região. Em nota, a secretaria afirmou que o conteúdo perdido será reposto. Todas as unidades da rede estadual funcionaram normalmente.

Ao menos três foram presos na operação que a Polícia Civil batizou de "Lar Doce Lar". Ela foi desencadeada após um inquérito apurar que proprietários de imóveis do conjunto habitacional foram expulsos por criminosos da região que, inclusive, tiveram a ousadia de vender algumas unidade. Policiais foram recebidos a tiros quando chegaram ao local, no início da manhã. Um homem atingido por disparos foi levado pelos bombeiros para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes. Seu estado de saúde é desconhecido.

Policiais atuam desde o início da manhã em conjunto habitacional de Barros Filho. Imagem aérea mostra ambulância que socorreu homem baleadoReprodução / TV Globo

LEIA MAIS: Homem é morto a tiros em Costa Barros

A ação é comandada pela 39ª DP (Pavuna) e pela 40ª DP (Honório Gurgel), que contam com o apoio de aproximadamente 350 policiais. Equipes da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) e dos departamentos Geral de Polícia da Capital (DGPC) e Especializada (DGPE) atuam na operação, que cumprir 60 mandados de busca e apreensão.

Últimas de Rio De Janeiro