Beltrame: PMs envolvidos em morte na Providência serão expulsos da corporação

Secretário de Segurança afirmou durante homenagem na Zona Norte que é necessário extirpar os maus policiais

Por O Dia

Rio - O secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, afirmou na manhã desta quinta-feira que os policiais militares envolvidos na morte do adolescente Eduardo Felipe Santos Victor, de 17 anos, serão expulsos da corporação. A declaração aconteceu durante uma homenagem recebida por Beltrame no Tijuca Tênis Clube, na Zona Norte.  Na última terça-feira, os policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Providência foram flagrados por moradores alterando a cena do crime onde estava a vítima.

DH fará a reprodução simulada da morte de jovem no Morro da Providência

Mesmo com policiamento reforçado na Providência, ônibus são apedrejados

Adolescente morreu em auto de resistência forjado por PMs da UPPDivulgação

"Sei que haverá espaço para eles se defenderem, mas o que precisamos fazer é extirpar os maus policiais imediatamente", disse o secretário.

O PM Eder Ricardo de Siqueira foi flagrado, em vídeos feitos por moradores, colocando uma arma na mão de Eduardo. Em depoimento na DH, ele alegou ter atirado para evitar um acidente, dizendo que a arma estava travada com duas balas. Segundo policiais, Eder não teria participado do confronto e foi ao local após ouvir tiros. Nas imagens, ele aparece sem farda.

Também em depoimento, o policial Paulo Roberto da Silva assumiu ter sido o autor do disparo que atingiu e matou Eduardo. Ele afirmou que agiu em legítima defesa porque o garoto teria esboçado uma reação contra os PMs.

Além de Eder e Paulo Roberto, os PMs Riquelmo de Paula Geraldo, Gabriel Julião Florido e Pedro Victor da Silva Pena também estão presos e todos foram indiciados por fraude processual.

A pistola colocada na mão de Eduardo está sendo periciada. O tiro que matou o adolescente entrou pelo peito do lado direito e saiu pelo mamilo no lado esquerdo.

Beltrame admitiu também que o crime na Providência abala a credibilidade do processo de pacificação, mas garantiu que a imediata punição aos policiais ajuda a reverter os prejuízos. "Os números estão aí. Conseguimos reduzir os crimes e temos o apoio da população. Uma vez por semana vou a uma UPP e recebo acenos, muitas vezes discretos, demonstrando apoio", afirma.

A Divisão de Homicídios (DH) da Capital fará uma reprodução simulada da morte do adolescente Eduardo. A data deverá ser divulgada nos próximos dias. Agentes da DH estão nesta quinta-feira na comunidade procurando outras provas e tentam encontrar testemunhas e novos vídeos.


Últimas de Rio De Janeiro