Sumaré: Policiais militares acusados de matar menor vão a júri popular

Crime foi em junho de 2014. Sentença foi dada pelo juiz Alexandre Abrahão Dias Teixeira, do 3º Tribunal do Júri

Por O Dia

Rio - A Justiça decidiu que os policiais militares Fábio Magalhães Ferreira e Vinicius Lima Vieira, acusados da morte de Mateus Alves dos Santos, de 14 anos, no Sumaré, em junho de 2014, vão a júri popular. Eles serão julgados pelo crime de homicídio duplamente qualificado.

"Há, como disse e reafirmo, em razão destes argumentos e dos fundamentos probatório elencados, elementos suficientes para remeter o julgamento final ao Juiz Natural deste tipo de crime – Corpo de Jurados -, este sim capaz de dirimir a fundo todas as provas trazidas pelas partes e seus conflitos (...) caberá ao júri popular, com a isenção devida, apreciar toda carga probatória desembarcada pelas partes", diz o juiz Alexandre Abrahão Dias Teixeira, do 3º Tribunal do Júri da Capital, na sua sentença de pronúncia.

LEIA MAIS

Caso Sumaré: DH confirma presença de um terceiro menor na viatura da PM

PMs envolvidos em mortes no Sumaré queriam executar mais jovens infratores

DH não tem dúvida da ação de PMs na morte de menor no Sumaré

Os PMs Vinicius Lima Vieira e Fábio Magalhães Ferreira vão a júri popular por morte de menor no alto do SumaréJosé Pedro Monteiro / Agência O Dia

Mateus e um outro menor que sobreviveu e denunciou os policiais foram apreendidos por praticarem assaltos no Centro do Rio e levados para o Sumaré, onde foram baleados. Segundo o magistrado, "a prova oral produzida na fase judicial apresentou-se hábil e robusta para demonstrar a existência de sinais mínimos suficientes de autoria."

A decisão também manteve a permanência dos policiais na prisão. "Os indícios de envolvimento dos acusados nos crime são fortíssimos e as práticas criminosas foram de grande gravidade aos olhos da sociedade local", concluiu o juiz. 

Na época do crime, os acusados disseram em depoimento que detiveram os menores porque eles estariam praticando roubos no Centro. O adolescente sobrevivente, baleado na perna, escapou da execução ao se fingir de morto. Um terceiro menor também foi levado para o Sumaré, mas foi liberado pelos PMs por conhecer um homem que trabalhava no camelódromo da Rua Uruguaiana, que também era amigo dos militares. Antes de ser libertado, no entanto, ele foi ameaçado.

O vídeo das câmeras da viatura da PM mostra os policiais levando os adolescentes a um penhasco no alto do Morro do Sumaré, onde um deles apareceu morto cinco dias depois. Mateus morreu ao ser baleado na cabeça.

Mateus Alves dos Santos%2C de 14 anos%2C foi morto com um tiro na cabeça no alto so SumaréReprodução Vídeo


Últimas de Rio De Janeiro