Banhistas terão que amargar dois feriadões sem o Piscinão de Ramos

Lago artificial ficará interditado por 30 dias para operação de limpeza e manutenção

Por O Dia

Rio - Um dos mais badalados points do verão carioca, o Piscinão de Ramos, na Zona Norte da cidade, será fechado para manutenção a partir de amanhã. Durante 30 dias, o lago artificial ficará interditado aos frequentadores que terão que buscar outros espaços de lazer para aproveitar os dois últimos feriadões do ano, em 12 de outubro (Dia da Padroeira do Brasil e Dia das Crianças) e 2 de novembro (Finados). De acordo com a Secretaria Municipal de Saneamento e Recursos Hídricos (Smar), a operação fará a desinfecção dos 546 metros cúbicos de areia e a recuperação da manta que fica no fundo do piscinão.

As areias do piscinão%2C muito concorridas nos fins de semana de verão%2C serão desinfectadas pela prefeituraAgência O Dia

A intervenção, que é feita a cada dois anos, consiste em várias etapas e começa com o esvaziamento dos 30 milhões de litros de água do lago artificial. Em seguida, o lodo do fundo do lago é removido, a manta que cobre o fundo é impermeabilizada, a areia é reposta e a água limpa é recolocada. Para isso, três bombas de sucção vão esvaziar o lago, escoando todo o volume de água que abastece o reservatório direto para a Baía de Guanabara. A operação, orçada em R$ 387 mil, pretende deixar o complexo de lazer em condições próprias para o banho no próximo verão, explica o secretário de Saneamento e Recursos Hídricos, Pierre Batista. “O trabalho vai possibilitar que os banhistas possam se divertir à vontade, com toda a segurança, no próximo verão”, diz. Segundo o secretário, a última manutenção foi realizada há dois anos. Ele explica que a areia será removida e totalmente higienizada.

Na desinfecção, os funcionários da secretaria vão utilizar soluções de hipoclorito de sódio. Após a limpeza, a manta que fica no fundo do lago também será recuperada. “Essa revisão é necessária porque ela pode ter sido danificada pelo uso de guarda-sol e cadeira de praia”, diz Batista. O passo seguinte será a devolução da areia ao piscinão. Antes de encher novamente o lago, a água que será retirada da Baía de Guanabara passará pela estação de tratamento que funciona no próprio local.

“A prefeitura está atuando para cuidar da saúde dos frequentadores do piscinão, mas é preciso que a população também colabore não jogando alimentos na água e não colocando objetos que possam danificar a manta que cobre o fundo”, pede o secretário. A expectativa é que o Piscinão, que tem 3.500 metros quadrados de extensão, seja reaberto à população no dia 7 de novembro. 

Últimas de Rio De Janeiro