Integrantes de grupo especializado em roubo de caixas eletrônicos são presos

Sete pessoas da quadrilha já foram presas na operação da 33ªDP (Realengo) na Baixada Fluminense e Zona Norte

Por O Dia

Rio - Uma ‘clínica geral’ de roubos. Assim foi definida pela delegada Daniela Terra, da 33ª DP (Realengo), a quadrilha desarticulada nesta quarta-feira  após semanas de investigações. Sete acusados foram presos. Além dos recentes ataques a caixas eletrônicos, o bando também era responsável por roubos a pedestres da região, lojas, carga e veículos, além de fazer sequestros-relâmpagos.

Bando tinha produtos de beleza roubados e até roupa camufladaDivulgação

As investigações começaram a partir da prisão de Yago Lucas da Silva, feita pela Polícia Militar. Pelo do celular do acusado, uma potencial vítima, dona de uma loja de materiais de construção foi filmada durante três dias. Em cenas de puro exibicionismo, os bandidos seguiram as vítimas e faziam planos para o sequestro da mulher, que conseguiu escapar da abordagem. Eles ironizavam a vítima: “A calma dela vai virar desespero amanhã.”Em um dos vídeos, os criminosos ainda combinam até a roupa que usariam no dia so crime. Através de escutas telefônicas e monitoramento das mensagens, a Polícia Civil conseguiu prender mais seis envolvidos. Outros três estão foragidos.

“Quatro deles foram presos em Duque de Caxias, e um no Complexo do Chapadão, em Costa Barros, que era o escritório da organização criminosa. Eles roubavam todos os dias, usavam fardas do Exército e uma carteira falsa também da força armada. Apreendemos cargas roubadas, mas ainda não chegamos aos restos de caixas eletrônicos. Sabemos que eles compravam armas com o produto do roubo de caixas”, afirmou a delegada.

Em uma das escutas autorizadas pela Justiça, os criminosos comemoram o roubo de um caixa. “Traz elástico aí, que é muito dinheiro.”. Os ladrões também combinavam pelos celulares horários e data das ações. “Tô (sic) pegando a pistola e indo para lá”, escreveu um deles para o grupo.

Nas mesmas mensagens, os ladrões falavam há semanas que um chinês era o próximo alvo. Antes da operação da polícia, o bando falou que não haveria risco em fazer novos roubos porque já estavam há quatro dias sem agir, após a prisão de outro grupo que roubava caixas eletrônicos. “Tá (sic) tranquilo, não vai ter nada (operação policial)”, disse um dos suspeitos.

Foram presos: Laio Gomes Barbosa; José Antônio Alves Carvalho; Nathan de Oliveira Ribeiro; Antônio José Miranda Mattos; Michel Alex Lima e Marcos Douglas Carneiro Silva. A delegada acredita que haverá redução dos roubos na região e na Baixada.

LEIA MAIS: Bando teria sequestrado prestador de serviços para roubar caixa

Ataques em vários bairros

A quadrilha rendia operadores de retroescavadeiras que trabalhavam próximo aos locais onde havia caixas eletrônicos. Os profissionais eram obrigados a levar a máquina até o estabelecimento para arrombar o local, que em seguida tinha o equipamento levado. “Eles já chegavam ao local com um caminhão, também roubado, para levar os caixas”, explicou a delegada Daniela Terra.

Entre as ações suspeitas de terem sido cometidas pelo grupo está o roubo de três caixas eletrônicos de um posto de combustível na Avenida Marechal Alencastro, em Anchieta, no dia 21 de setembro. Em agosto, a tentativa não deu certo em Duque de Caxias e os bandidos fugiram sem levar os equipamentos.

Em julho, o ataque foi em um shopping em Guadalupe. Os criminosos entraram pelo estacionamento, derrubaram um portão e levaram duas máquinas. Em maio, dois roubos foram registrados: dois caixas foram levados de uma farmácia em São João de Meriti e, cinco dias depois, outra farmácia e uma mercearia foram invadidas com retroescavadeira. Os equipamentos foram levados.

Últimas de Rio De Janeiro