Alerta em rios no interior do estado

Paraibuna está com 1% de sua capacidade e Muriaé já secou

Por O Dia

Rio Muriaé em Itaperuna está seco. Pescadores perdem sustento Divulgação

Rio - A crise hídrica no estado do Rio nunca esteve tão grave, admitiu ontem o secretário do Meio Ambiente, André Correa. O pesadelo é maior no interior, na Baixada Fluminense e nos municípios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí.

O reservatório do Paraibuna, o maior do estado e que abastece toda a região metropolitana, está apenas com 1% de sua capacidade. A longa estiagem fez com que o Sistema Imuno-Laranjal, que abastece Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Paquetá, também sofresse com a vazão reduzida. O rio Muriaé em Itaperuna está minguando - há trechos já completamente secos, provocando o desespero dos pescadores da região.

“A cisterna do meu prédio secou completamente na sexta passada e tivemos que tomar banho de baldinho. No dia seguinte, a síndica comprou um caminhão pipa, que custou R$ 400”, queixou-se o vendedor Marco Aurélio Mendonça, morador do bairro Fonseca. “A Águas de Niterói sofre um problema seríssimo de comunicação. Só fomos saber que era preciso economizar água quando já estávamos sem”.

O grupo Águas de Niterói informou através de nota que a regularização do abastecimento leva em torno de 72 horas e que os problemas pontuais serão resolvidos com envio de equipe técnica ou carros-pipa.

Reportagem da estagiária Carolina Moura

Últimas de Rio De Janeiro