Bilhete Único que integra ônibus e trens saltará de R$4,70 para R$5,90

Mudança no preço representa aumento de 25% do valor

Por O Dia

Rio - O preço do Bilhete Único que integra ônibus e trens vai aumentar 25,53% a partir de 0h deste sábado. As passagens no município do Rio vão pular de R$ 4,70 para R$ 5,90. 

A decisão da prefeitura, motivada por suposto desequilíbrio financeiro da SuperVia, atinge mais de 50 mil passageiros.

O Bilhete Único representa um desconto para o consumidor. Antes, ele pagava duas passagens, o que hoje corresponde a R$ 6,70 para pegar um ônibus e um trem no intervalo de até 2h30 dentro do município - com o Bilhete Único, o mesmo trajeto custará R$ 5,90.

Vitor Macedo%3A ‘Aumento do Bilhete Único vai pesar%2C ainda mais para mim%2C que estou desempregado’Maíra Coelho / Agência O Dia

“Antes, menos de 20 mil passageiros por dia faziam integração ônibus-trem e, hoje, são mais de 50 mil”, explicou em nota a Secretaria Municipal de Transportes. “Como a integração é uma parcela da tarifa dos transportes, isso gerou desequilíbrio para a SuperVia”.

A prefeitura alega que equiparou o valor do Bilhete Único Carioca (BUC) ao que o usuário estadual já paga pelo Bilhete Único Intermunicipal. Segundo a Secretaria, as empresas racham o prejuízo dos descontos.

Especialista em Transportes da Uerj, Alexandre Rojas cobrou transparência. “Cabe ao poder público demonstrar claramente, com planilhas detalhadas, a alta de custos que desequilibrou o contrato”, diz. Ele também reclamou de que o anúncio foi feito a poucos dias do aumento, sem prazo para o consumidor se planejar.

Apesar do desequilíbrio informado, desde que a SuperVia ganhou nova gestão, em 2011, as demonstrações financeiras da empresa apontam redução de prejuízos, com lucro de R$ 16,6 milhões no ano passado.

A SuperVia não confirma que exigiu redução do benefício. “O reajuste é de competência da prefeitura”, afirmou a concessionária.

“Vai pesar no bolso, ainda mais para mim, que estou desempregado”, lamentou o motorista Victor Macedo Alves, de 34 anos. Mesma opinião do contador Wexley Antunes, de 22 anos. “Acho que é bom para o bolso dos governantes e faz falta aqui no meu bolso”, reclamou.

Últimas de Rio De Janeiro