Lideranças evangélicas pedem saída de Cunha da presidência da Câmara

Segundo o texto, denúncias de corrupção e envio de recursos públicos para o exterior inviabilizam permanência no cargo

Por O Dia

Diversas lideranças evangélicas — entre bispos, pastores, teólogos e leigos — divulgaram nesta quarta um manifesto em que reivindicam a saída de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara dos Deputados.

De acordo com o documento, que será protocolado ainda hoje na Câmara, as "denúncias de corrupção e o envio de recursos públicos para contas no exterior inviabilizam a permanência do deputado Eduardo Cunha no cargo que ocupa".

O texto afirma que as ações de Cunha, "que se identifica como evangélico", merecem repúdio. Frisa também que "a corrupção não é a marca distintiva da política para os evangélicos. Ela é a marca de certa 'safra' de representantes. Mas os evangélicos não somos assim e não podemos mais deixar que nos identifiquem como tal."

Entre os signatários do manifesto, que está disponível para adesões na internet, estão Dom Francisco de Assis da Silva, bispo primaz da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, Marisa Coutinho, bispa da Região Missionária do Nordeste da Igreja Metodista, e Romi Bencke, pastora da Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil.

O texto está disponível aqui 

Últimas de Rio De Janeiro