Guarda provisória de bebê que nasceu em cela é concedida aos tios maternos

Criança nasceu dentro da Penitenciária Talavera Bruce, no Complexo de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio

Por O Dia

Rio - Foi concedida aos tios maternos a guarda provisória do bebê nascido dentro de cela isolada na Penitenciária Talavera Bruce, no Complexo de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste. A decisão é do juiz Sergio Luiz Ribeiro de Souza, titular da 4ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso. 

“Os resultados dos estudos social e psicológico que pedi para fazer com urgência foram positivos em relação à família da criança. Os tios maternos já podem pegar o Termo de Guarda Provisória”, afirmou o magistrado. Com a decisão, o bebê já pode deixar o Abrigo Evangélico da Pedra de Guaratiba e ir para casa. A guarda definitiva só sairá ao final do processo.

Tios visitam criança

Em visita à sobrinha nesta quinta-feira, o tio da bebê, que nasceu dentro de uma cela na Penitenciária Talavera Bruce, no Complexo de Gericinó, em Bangu, disse que a menina passa bem. De acordo com Alace Machado, a estrutura do local para onde a menina foi levada é "maravilhosa" e a bebê "está muito bem". 

Por decisão de juiz da 4ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso, em Campo Grande, a recém-nascida foi encaminhada ao Abrigo Evangélico em Pedra de Guaratiba, também na Zona Oeste.

Até o ínicio desta tarde, ainda não havia decisão sobre o destino e a menina permaneceria no abrigo até que uma equipe designada pela Justiça, composta por psicólogos e assistentes sociais, devolvesse o juízo um estudo social e psicológico da família materna (os tios, Alace Machado e Déborah Esteves).  

No dia 11 de outubro, B., grávida de nove meses e sofrendo de esquizofrenia, deu à luz enquanto estava na solitária do presídio. Mesmo com os gritos e pedidos de ajuda de outra detenta, a gestante só saiu do isolamento com o bebê já no colo e com o cordão umbilical ainda ligado ao corpo. 

Após o episódio, o titular da Vara de Execuções Penais (VEP), juiz Eduardo Oberg, determinou o afastamento provisório da diretora do presídio, Andréia Oliveira, assim como da subdiretora, Ana Paula da Silva Carvalho.


Últimas de Rio De Janeiro