'Foi uma covardia', desabafa pai de jovem morto por engano na Pavuna

Gilberto Dingo disse ter ficado frente a frente com o PM que matou Thiago e Jorge Lucas e o chamou de 'assassino'

Por O Dia

Rio - Uma decisão equivocada de um policial militar culminou com as mortes dos mototaxistas Jorge Lucas de Jesus Martins Paes, 17 anos, e Thiago Guimarães Dingo, 24, na tarde de quinta-feira, na Pavuna. Um sargento do 41ºBPM (Irajá), que não teve o nome divulgado, confundiu um macaco hidráulico que as vítimas transportavam, com uma arma e realizou um disparo matando os dois. No Instituto Médico Legal para liberar o corpo do filho, Gilberto Dingo, pai de Thiago, classificou como covarde a ação dos policiais militares.

"Não teve nenhum tipo de abordagem e nem revista. Por que atiraram? Um tiro de fuzil que foi dado pelas costas matou os dois. Foi uma covardia", desabafou.

'Por que atiraram neles%3F Nem houve abordagem. Foi uma covardia'%2C desabafou pai de uma das vítimasMaíra Coelho / Agência O Dia

Ele disse que ficou frente a frente com o policial que fez o disparo e questionou o motivo dele ter atirado contra os jovens. "Chamei o PM de assassino e perguntei porque ele atirou. Ele não respondeu e riu com ar de deboche. Vamos processar o estado", garante.

Gilberto disse que estava em casa e ouviu o disparo que matou seu filho e Jorge Lucas. Ele afirmou que o Thiago estava dirigindo a moto e que o outro rapaz segurava o macaco hidráulico. "Eles tinham consertado a kombi de um amigo nosso".

VEJA MAIS

PM confunde ferramenta com arma e mata dois jovens na Pavuna

Erros da Polícia Militar já mataram outros inocentes no Rio

O pai de Thiago lembrou que a namorada do filho estava grávida e que todos na família estavam na expectativa da chegada do bebê. "Ele (Thiago) estava feliz demais. Já tinha arrumado a casa para morar com ela", diz.

Jorge e Thiago foram mortos por engano enquanto consertavam motocicletaReprodução / TV Globo

Thiago e Jorge Lucas foram baleados quando passavam pela Rua Doutor José Thomas. O policial percebeu que a moto vinha na direção da viatura. De acordo com seu depoimento, ele pensou que as vítimas portavam uma arma e efetuou um único disparo que atravessou os dois mototaxistas.

Sargento do 41ºBPM responderá em liberdade

Por conta da morte dos jovens, moradores da região realizaram um violento protesto no bairro, incendiando um ônibus da linha 372 (Pavuna x Passeio). A estação do metrô Engenheiro Rubens Paiva chegou a ficar fechada por cerca de 30 minutos.

O policial foi afastado, passará por avaliações técnica e psicológica e responderá o caso em liberdade. Todos os PMs envolvidos prestaram depoimento e tiveram as armas apreendidas para perícia. "Precisamos saber se ele cometeu um erro técnico ou se foi emocional", explicou o comandante do 41ºBPM, coronel Marcos Netto.

Jorge Lucas será sepultado nesta sexta-feira, às 15h, no Cemitério de Inhaúma. Já o enterro de Thiago Guimarães acontecerá no sábado, às 10h, no Cemitério de Irajá.

Últimas de Rio De Janeiro