Morre a jornalista Maria Mirtes Guimarães, vítima de parada cardíaca

Colegas lembraram dela como uma profissional combativa e incansável

Por O Dia

Rio - A jornalista Maria Mirtes Guimarães morreu nesta quarta-feira, aos 56 anos, vítima de uma parada cardíaca. Ela lutava contra um câncer e morreu após seis dias de internação no CTI e duas semanas hospitalizada. “Ela já estava bastante fragilizada e não resistiu. Descanse em paz mãe”, desejou o filho Rogério Guazelli Guimarães.

Mineira de Itajubá, Mirtes Guimarães trabalhou em grandes jornais, como O DIA e ‘O Globo’. Por onde passou, deixou amigos e admiradores do seu profissionalismo e desempenho. Atuou em muitas pautas importantes. “Era o tipo de repórter que todo entrevistado temia: aguda, insistente, incansável”, lembrou o jornalista Alexandre Medeiros. Ele ressaltou a generosidade dela com os iniciantes na profissão: “Era uma grande companheira, dividia informações, passava ensinamentos, dava dicas, sobretudo aos mais jovens”.

Jornalista Maria Mirtes Guimarães (1959 - 2015)Reprodução

Para a editora assistente do DIA Rosayne Macedo, Mirtes era uma jornalista aguerrida e combativa, nas redações, nas ruas, na luta sindical e até em sua timeline. “Ela vai fazer falta para todos nós”, disse. Rosayne dividia com Mirtes a função de moderar o grupo ‘JornalistasRJ’, que reúne quase 10 mil profissionais no Facebook. “Descanse em paz, pequena grande guerreira. E que seu novo caminho seja de muita luz”.

Assessores de imprensa também lembraram da capacidade e determinação de Mirtes na hora de apurar uma matéria: “Tinha trabalho quando ela vinha com uma demanda. Era danada. Queria saber mais e mais”, ressaltou Cristina do Carmo. “Repórter ótima é assim mesmo”, concluiu. Cláudia Freitas, amiga e jornalista, que acompanhou os momentos finais, lamentou a perda. “Tem coisas que, com certeza, não sabemos”, disse, sobre a súbita partida. O velório será nesta sexta-feira às 10h, no Memorial do Carmo, no Caju, onde o corpo será cremado, às 11h.  

Últimas de Rio De Janeiro