Gerente de restaurante na Tijuca é preso acusado de crime de injúria racial

Homem teria oferecido bananas a entregadores negros. Ele pagou fiança e pode pegar de um a três anos de prisão

Por O Dia

As vítimas identificadas como William Dias Delfim e Leonardo Valentim Silva Pereira.WhatsApp O DIA (9 8762-8248)

Rio - Um gerente do restaurante Garota da Tijuca, na Zona Norte do Rio, foi preso por injúria racial, na última sexta-feira. De acordo com a Polícia Civil, Ascendino Correa Leal, de 68 anos, entregou bananas a dois entregadores de bebidas negros como “homenagem” pelo Dia da Consciência Negra. As vítimas não gostaram e brigaram com o acusado. A polícia foi chamada e o gerente preso em flagrante e levado para a 19ª DP (Tijuca).

No Boletim de Ocorrência (BO), os entregadores William Dias Delfim e Leonardo Valentim Silva Pereira disseram que o gerente havia afirmado “em homenagem ao dia de hoje, uma banana para casa um, pois vocês são da mesma raça". O agressor ainda teria dito que as bananas eram para todos, "pois todos eles eram da mesma raça". No BO, Correa, como é conhecido, teria tentado desfazer o constrangimento e entrou no restaurante rindo.

No mesmo dia, Ascendino pagou uma fiança de R$ 800 e foi liberado.

BRINCADEIRA E MAL-ENTENDIDO

José da Cruz, gerente do turno da tarde do Garota da Tijuca disse que no dia do incidente, Correa – que sempre leva frutas para o trabalho – ofereceu bananas para as vítimas e os entregadores teriam se ofendido. Cruz tentou desfazer o mal-entendido alegando que o acusado é um homem muito brincalhão e que sempre se divertiu com todos os entregadores. Cruz disse ainda que Ascendio trabalha no restaurante há mais de 35 anos e nunca se envolveu em problemas.

Ascendino Correa chegou a trabalhar no dia seguinte, mas teria teria passado mal com problemas de pressão e foi liberado. Desde então ele está de licença. O dono do estabelecimento não foi localizado porque estaria viajando.

"Em homenagem ao dia de hoje, uma banana para cada um, pois vocês são da mesma raça", teria dito o gerenteWhatsApp O DIA (9 8762-8248)

Segundo o delegado da 19ª DP, Celso Gustavo Castello Ribeiro, o inquérito será encaminhado ainda essa semana para o Ministério Público. Se condenado Ascendio Correa Leal, pode pegar de um a três anos de prisão, além de multa.

PROTESTO NO FACEBOOK

O caso provocou indignação nas redes sociais. No Facebook, internautas pediram a demissão do acusado de injúria racial. Foi criado o evento 'Mais que uma banana para o Garota da Tijuca' convocando um protesto em forma de boicote ao restaurante no dia 5 de dezembro. Até o começo da noite desta segunda-feira, mais de 1,4 mil pessoas haviam confirmado presença.

Reportagem de Rafael Nascimento 

Últimas de Rio De Janeiro